Hoje é o Dia Mundial da Terra (data para reflexão sobre o nosso lar no Universo) #ForaSalles #ForaBolsonaro​ #Amazônia

Hoje é o Dia Mundial da Terra. A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969.

Desde então, no dia 22 de abril, milhões de cidadãos em todo o mundo manifestam o seu compromisso na preservação do ambiente e da sustentabilidade da Terra. Neste dia de cariz educativo escrevem-se frases e poemas sobre a importância do planeta Terra nas escolas, entre outras atividades.

É possível juntar-se a atividades existentes, criar eventos próprios, doar dinheiro, ou tomar simples atos como plantar uma árvore ou separar o lixo, por exemplo.

O Dia Mundial da Terra conta já com mais de mil milhões de atos realizados em prol do ambiente ao longo da história. É o maior dia do ano para o planeta Terra, desejando que todos os habitantes do mundo realizem algum ato que o proteja. Este ato será uma espécie de semente para regar durante o resto do ano.

Nesta data são debatidos temas como aumento da temperatura global da Terra; extinção de espécies animais; aumento do nível dos oceanos; escassez de água potável; maior número de catástrofes naturais, como tempestades, secas e ondas de calor.

Há muitos anos, quando eu era ignorante sobre a importância do assunto, jogava lixo nas florestas, no Rio Amazonas ou em qualquer lugar inapropriado. É essencial que tenhamos sensibilidade, educação e consciência sobre a preservação do nosso lar no Universo. O mundo está morrendo, aos poucos, mas está. E a fragilidade do nosso planeta precisa ser explicada para podermos adiar a extinção dele e, consequentemente, a nossa.

O colunista Leonardo Sakamoto comenta a possibilidade de o governo brasileiro receber dinheiro para preservar a Amazônia. “Não adianta o governo dos Estados Unidos injetar bilhões para combater o desmatamento na Amazônia se Jair Bolsonaro e Ricardo Salles continuam enfraquecendo fiscais do Ibama e do ICMBio, alterando regras ambientais para que se tornem inócuas e deixando de cobrar multas impostas a desmatadores ilegais. Ou seja, se o governo brasileiro continuar sendo o principal sabotador do meio ambiente.” . Veja o vídeo abaixo:

Em cena do filme “O Fórum”, do alemão Marcus Vetter, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diz a Al Gore, ex-vice-presidente dos Estados Unidos, que ‘gostaria muito’ de explorar os recursos da Amazônia com os EUA. Em resposta, o norte-americano disse não entender o que ele quis dizer. O caso ocorreu durante a Sessão Plenária do Fórum Econômico Mundial de 2019, em Davos, na Suíça. Assista o vídeo abaixo:

Nestes tempos, em que o Brasil enfrenta o desgoverno de Jair Bolsonaro e seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em relação a Amazônia, fica aí a reflexão: há 521 anos Cabral descobria o Brasil. Há 28 meses Salles desmata o Brasil.

Fora Salles! Fora Bolsonaro!

Senhor cure a nossa vida, para que possamos proteger o mundo e não o depredemos, semeando beleza e não poluição e destruição” – Papa Francisco.

Elton Tavares
Fonte: Calendar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *