Hoje giro a roda da vida pela quadragésima segunda vez e estou felizão por ter chegado até aqui. Viva eu!

Hoje giro a roda da vida. Pintei por aqui em 1976, no Cio da Primavera. Era 14 de setembro, como hoje, mas no início da tarde, segundo a minha mais que maravilhosa mãe. Passados 42 anos, só tenho a agradecer a Deus, minha família (quero dizer, parte dela) e meus amigos (os de verdade, claro).

Apesar do trabalho que dei ao meu anjo da guarda, cheguei aos 42 (com corpitcho de 90) e isso para mim é realmente impressionante. Pois foram centenas de “bocas cercadas” e “fogueiras puladas”. Ainda bem que o fígado é um órgão que se regenera.

Sempre digo e repito: aniversários são especiais para mim. Chego aqui neste dia abençoado com poucos arrependimentos e muitas bênçãos, amores e amigos. Sobretudo, amor e suporte familiar.

Sou grato pelas lições aprendidas nas poucas derrotas e pelas graças das incontáveis vitórias. Profissionais e pessoais. Consegui sucesso, notoriedade e respeito em uma profissão competitiva, cheia de gente muito talentosa e boa. Sobre isso, nunca me reinventei, mas aprendi e aprimorei os métodos, melhorei o trato e fortaleci velhas parcerias. Há tempos, descobri que respeito é o segredo. Ah, arrisquei várias vezes. Claro, rolaram algumas pisadas de bola, frustrações, mas a maioria das situações foram triunfais.

Namorei um bocado; amei e desamei; viajei muito; vi shows de rock; saí na porrada várias vezes; comemorei mundiais da seleção brasileira; títulos do Flamengo; desfilei e fui campeão pelo Piratão; frequentei rodas chiquentas e os botecos mais vagabundos; decepcionei alguns; fiz muitos felizes, enfim, vivi uns 59 anos nestes intensos 42 setembros malucos.

A vida me levou por muitos caminhos. Muitas vezes errados, mas o velho amigo Deus sempre me trouxe de volta para a trilha correta. Fiz uma porrada de merdas, mas acertei muito. Já provei poderosos venenos e doces antídotos. Costumo brincar ao dizer que graças a Deus, tenho uma sorte dos diabos.

Juro que tento ser uma boa pessoa. Um bom filho, irmão, tio, neto ou amigo. Tento ser justo, mas nisso nem sempre tenho sucesso. Com minha alma inquieta sigo a vida com o prazer que os lugares e pessoas ofertam, mas sempre com integridade e intensidade, sem meiotas, tudo muito. Também com um pouco de carisma, muito humor e malandragem, mas sem artimanhas.

Alguns me acham encrenqueiro, mas estouro para não implodir, somente ação e reação, simples assim. Confesso que às vezes exagero, mas sou assim e isso me faz feliz. Afinal, ser você mesmo é algo que ninguém tira de você.

Talvez eu fique velho, mas talvez viva só mais uma semana. O importante é que, até aqui, fiz valer a pena, pois para mim ter sucesso é ser feliz. E acreditem, sou um cara feliz pra caralho!

Agradeço aos que me são caros pelo apoio incondicional e por me aturarem, mesmo com a incoerência e insensatez de alguns momentos. Posso me gabar que, mesmo com meus excessos, tenho saúde e respeito dos que são importantes para mim.

Sou grato a Deus, Morgan Freeman, Universo ou seja lá o nome da Força que comanda tudo por aqui pelo amor da minha mãe, irmão, tios, tias, primos, amigos e o carinho de uma porrada de gente. Sou grato mesmo. Muito obrigado!

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *