Hoje Lorena Queiroz gira a roda da vida. Feliz aniversário, prima. Te amo! – @LorenaadvLorena

Gira a roda da vida nesta quarta-feira a mãe das lindas Marina e Olívia, esposa do Rodrigo Petrocchi, advogada, amante de MPB, Rock and Roll e Reggae, maior fã de Bukowski que conheço, apreciadora de cinema, literatura e cervejas tuíras, bons vinhos, entre outros adoráveis venenos que amamos, Lorena Queiroz. Além de minha prima, uma amiga de verdade que tenho nesta jornada.

Malandramente sorridente, dona de uma tenacidade, colocações viscerais, humor negro e ácido e comportamento irreverente, Lorena é uma espécie de Gregory House (no corpo de mulher), do seriado de mesmo nome. Ah, a “Loloca” também se tornou uma mãe de dar orgulho, pois acompanho sua vida de longe, pelas redes e pelos papos que levamos vez ou outra.

Com ela, vivi muita coisa. A gente bebeu além da conta, pirou demais (lembra daquela vez na carroceria da pick-up cantando “Vamos fugir”?). Nossas conversas nunca foram chatas. Pelo contrário, a gente ria de tudo. Até de nós mesmos. Sim, nos divertimos a valer. Foram muitas vidas em uma. Sinto tanta falta disso, Loloca. Tu nem imaginas o quanto.

Ela está presente em boa parte da minha memória afetiva. Seja na infância feliz ou na juventude doideira. Lorena sabe quem sou de verdade e eu o mesmo sobre ela. Claro que hoje em dia somos pessoas diferentes, mas acredito que melhoramos e muito nossas visões de mundo, pessoas e situações. Vira e mexe, falamos sobre isso e agradecemos não ter seguido por uma vida ordinária como muitos que conviveram conosco.

Fomos amigos inseparáveis. Pensei seria capaz de tudo para proteger a Lorena. Nem sempre fui. Chegamos a nos afastar, mas em algum lugar de um passado recente, com uma mensagem que dizia: “cara, não sei quando eu ou você irá morrer. Por isso, estou fazendo minha parte e entro em contato”, voltamos a nos falar. Naquela noite me deu um suor de alegria nos olhos.

Sinto falta da convivência constante, das incursões boêmias pelas ruas, dos papos legais e ilegais, até do estranho tremer dos olhos castanhos. Loloca é um daqueles afetos para sempre. Uma áspera irmã de quem lembro sempre. A saudade dessa doida varrida só ameniza pelo fato dela estar muito feliz, com seus sonhos se materializando a cada dia. E eu fico aqui, orgulhosão da sacana.

Lorena, tu já dissestes que só a gente entende essa nossa história. Boto fé. Sabes que te amo pra caralho (leia-se intensidade). Que tua vida seja longa. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado. Que Deus lhe mantenha sempre com saúde para caminhar com harmonia para a prosperidade junto dessa família linda que tens. Todo amor pra ti sempre. Meus parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

*Texto republicado por conta da correria do trampo, mas de coração.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *