Homenagem às mulheres Jornalistas (texto da @MarileiaMaciel)

mulheresjornalistas

Exercemos nosso papel de mãe, filha, dona de casa, trabalhadora, namorada, esposa, amiga, gestora, política e quantas missões abraçamos. Mas quando decidimos ser jornalista, nos tornamos não melhores, mas diferente de outras mulheres.

Mulher no jornalismo significa não só uma aptidão ou talento – é uma mostra de que somos movidas por paixão. E quando se escreve com compromisso, competência, responsabilidade e paixão, o risco de não ser compreendida é quase nulo.

A mulher resolve ser jornalista porque ama de verdade sua profissão e usa o trabalho como ferramenta para mudanças. Consegue colocar sem exagero no texto, algumas angústias do coração que podem ajudar a melhorar o mundo. Uma reportagem tem esse poder.

Sabe usar na hora certa o instinto materno para dar um pouco de carinho e cuidado para um entrevistado que necessita. Usa o olhar feminino pra identificar o que poderia passar despercebido por outros. Com o trabalho, pode ajudar a tornar os sonhos alheios em realidade. E realizar sonhos é um desejo que vaga com desespero na cabeça de mulheres.

Não só conhece o mundo, culturas e pessoas pesquisando pra desenvolver uma boa matéria, como descreve este mundo com uma pitada a mais de amor. Vive várias vidas porque se envolve sem medo nas reportagens.

Torna a matéria mais convincente porque não tem receio de se emocionar no meio da entrevista. Por isso e muito mais somos especiais. Saber conduzir com delicadeza e profissionalismo a rotina de trabalho em redações e assessorias, família, casa e vida social não é pra quem quer, é pra quem é mulher.

Parabéns a todas as mulheres da imprensa amapaense!

Mariléia Maciel, jornalista, assessora de comunicação do MP-AP e grande amiga minha.

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*