I Amapá HackFest: MP-AP promove evento de fomento à produção de tecnologia para combater a corrupção

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) promoverá nos dias 7, 8, 9 de dezembro de 2018, na Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, o I Amapá HackFest. O evento objetiva produzir tecnologia para o combate à corrupção.

A ação consiste em uma maratona competitiva entre estudantes e profissionais da área de informática, que serão municiados de dados institucionais. Os participantes desenvolverão, durante os três dias de evento, plataformas como portais, sites, jogos e aplicativos. A utilização das ferramentas tem o propósito de que a administração pública não sofra com as práticas corruptivas.

A equipe técnica do MP-AP apresentou proposta para a Universidade Federal do Amapá (Unifap), Instituto Federal do Amapá (Ifap), Controladoria Geral da União no Estado do Amapá (CGU/AP) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) Amapá, com intuito de formalizar possíveis parcerias na realização do evento. A parceria entre as instituições será por meio de Termo de Cooperação Técnica (TCT) formulado pelo Ministério Público com as instituições parceiras.

As tratativas para a realização do evento iniciaram em setembro de 2018, quando o procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves, acompanhado da secretária-geral da instituição, promotora de Justiça Ivana Cei, e do promotor de Justiça Eduardo Kelson, reuniram-se com a professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Rosana Guerra, e com o servidor Severino Queiroz, da Controladoria Geral do município de João Pessoa (PB). Na ocasião, os visitantes paraibanos explicaram sobre os benefícios da realização do Hackfest, pois ambos participaram da organização de três edições do evento em seu Estado.

Durante a reunião foram debatidas as possibilidades da criação de ferramentas alternativas para combater a corrupção no Amapá, por meio da possível tecnologia que será produzida no HackFest. Também presentes no encontro a equipe técnica do órgão ministerial composta pela assessora técnica, Alzira Nogueira; o diretor do Departamento de Tecnologia da Informação, Rodinei Paixão; a servidora Verônica Santos, que participou do evento no Estado do Amazonas; e o diretor de comunicação, Elton Tavares.

O PGJ, convencido que o uso da informática para diminuir as práticas corruptivas será positiva para a administração pública do Amapá, realizou durante todo o mês de setembro reuniões setoriais com os possíveis parceiros na promoção do HackFest.

O MP-AP visa alcançar o público através do HackFest, que atua na área da tecnologia e de outras áreas para discutir ideias para o desenvolvimento de plataforma para ser ofertada com fácil acesso ao povo amapaense. A promoção do combate às atividades que envolvem a corrupção pelo uso da tecnologia é um meio que o MP-AP está adotando para educar as novas gerações.

“As ferramentas que serão produzidas no HackFest darão condições de acesso à sociedade, que terá informações sobre recursos utilizados pelo setor público. Com essa iniciativa, pretendemos despertar o interesse da população no âmbito fiscalizatório, pois é o cidadão que tem o papel fundamental na cobrança dos recursos públicos”, comentou o PGJ.

O Hackfest contará ainda com oficinas de tecnologia e palestras de especialistas amapaenses e de fora do Estado com experiência na área.

Serviço:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do MP-AP
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *