Ifap não retornará às atividades presenciais em agosto

Em um cenário normal, os últimos dias do mês de julho, tradicionalmente, marcam o final das férias escolares do meio do ano e o início da preparação de estudantes, professores e corpo técnico-administrativo das escolas para a volta às aulas, que acontece em agosto.

Em 2020, no entanto, essa não será a rotina dos quase 5 mil alunos presenciais das 6 unidades do Instituto Federal do Amapá (Ifap). Em função da pandemia da Covid-19 e baseado em uma ampla pesquisa realizada entre sua comunidade, que alcançou quase duas mil pessoas, o Ifap não retomará em agosto com atividades presenciais de ensino.

Com a paralisação das aulas e do expediente administrativo desde o dia 16 de março, o Ifap criou o Comitê de Crise e Enfrentamento à Covid-19 com a responsabilidade de planejar, gerenciar e executar as ações da instituição relacionadas à pandemia. A mais recente ação foi a elaboração do “Programa Retorno Seguro”, que é um conjunto de estudos que visa orientar às ações de retomada das atividades presenciais pela instituição.

A primeira ação do Programa Retorno Seguro foi a realização de uma pesquisa que alcançou quase 2 mil pessoas da comunidade escolar, entre estudantes, seus familiares, servidores e funcionários terceirizados. Essa pesquisa, feita remotamente, coletou, entre 24 de junho e 1º de julho, respostas para 26 perguntas relacionadas às diversas áreas de atuação da instituição e suas ações atuais e futuras considerando o atual cenário de crise mundial da saúde pública.

A análise dos dados mostrou que o maior percentual dos respondentes declara que ainda não se sente seguro o suficiente para voltar às atividades presenciais em agosto, como podemos perceber no gráfico abaixo.

A gestão da instituição já oficializou, por recomendação do Comitê de Crise e Enfrentamento à Covid-19, que não haverá retorno às atividades no referido mês. A decisão será encaminhada ao Conselho Superior do Ifap para deliberação. Discute-se ainda a possibilidade de iniciar a retomada das aulas apenas para os alunos concluintes, desde que sejam atendidos, dentre outros pré-requisitos: 50% dos leitos hospitalares do estado destinados ao tratamento da Covid-19 livres e uma redução sustentada de casos no período de, pelo menos, 30 dias consecutivos. Apenas se atendidas essas duas condições, a instituição iniciará os procedimentos para o retorno gradual suas atividades presenciais.

De acordo com a reitora Marialva Almeida, “é importante destacarmos que ainda que o cenário estadual apresente as condições de leitos disponíveis em 50% do número total e curva decrescente do número de casos durante 30 dias, nosso retorno não será imediato. Ele acontecerá em etapas e entre cada etapa dessas haverá um período de 30 dias, o que nos permitirá avaliar o cenário continuamente e agir com segurança, seja para avançar nas fases do retorno ou seja para recuar se for necessário. Nós queremos voltar às nossas atividades sim, mas não a qualquer custo. Nossa comunidade mostrou claramente na pesquisa que realizamos que está em sintonia com este pensamento. Nós não estamos agindo unilateralmente, estamos em um processo de diálogo permanente com nossos alunos, servidores e com nossa comunidade externa”.

A pesquisa também coletou sugestões e demandas da comunidade nas diversas áreas de atuação do Ifap. Todas essas informações foram reunidas e somadas às medidas que já vinham sendo implementadas pela instituição e podem ser consultadas em detalhes e por temas clicando no link abaixo:

Acesse a página completa do programa: http://ifap.edu.br/component/content/article?id=1244

Departamento de Informação, Comunicação e Eventos – Deice
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *