Janeiro Branco: Governo do Amapá conscientiza tutores para cuidados com a saúde mental dos pets

Os pets, como cães e gatos, são seres sencientes, que têm a capacidade de sentir emoções e sensações físicas, como dor, estresse, ansiedade e, em casos extremos, depressão. Neste sentido, o Governo do Amapá promove o “Janeiro Branco”, mês para conscientizar os tutores sobre a saúde mental dos animais domésticos.

A saúde mental é vital para o bem-estar do pet. Animais ansiosos, estressados ou deprimidos podem enfrentar problemas de saúde física e comportamental. É necessário fornecer um ambiente seguro e com interações positivas, por meio de brinquedos e exercícios, além de uma dieta balanceada e adequada.

Entre as medidas incentivadas, está o enriquecimento ambiental, atividade que tem o objetivo de preservar o bem-estar e estimular os comportamentos naturais de cada espécie, como explica a médica veterinária da Secretaria de Estado do Bem-Estar Animal, Clara Sullyvan.

“O enriquecimento ambiental tem um papel importante na saúde mental dos animais. Você cria um ambiente estimulante, com os brinquedos, os desafios e até mesmo oportunidade de exploração, promovendo uma atividade mental e física, reforçando o cognitivo desse animal. Tudo isso vai ajudar a prevenir o tédio e a reduzir o estresse também”, reforça a médica.

Os passeios causam uma estimulação dos sentidos visuais, olfativos e auditivos dos animais, além de contribuir por meio do exercício físico, crucial para manter a saúde cardiovascular e muscular do pet. Porém, um dos aspectos mais importantes da atividade, quando se fala em saúde mental, é a interação social que o passeio vai proporcionar para esse animal.

“Durante o passeio, o animal tem contato com outras pessoas, com outros pets, com texturas e cheiros diferentes. Tudo isso vai contribuir para o bem-estar emocional, ajudando a evitar o isolamento. Quando a gente integra o passeio na rotina dos animais, nós reduzimos os comportamentos indesejados e fortalecemos o vínculo entre o animal e o seu tutor”, destaca Clara.

Adoção responsável

O Governo do Estado também incentiva a adoção responsável dos pets que se encontram em abrigos ou situações de rua. A presença de um lar, com sentimentos de carinho e amor, influencia diretamente na integridade do pet em todos os sentidos.

“A adoção vai estar diretamente relacionada com esses fatores positivos. O animal vai ter um ambiente familiar, vai ter uma nutrição adequada, ele vai ter passeios, brinquedos, tudo isso vai influenciar positivamente na saúde mental dele”, conta Clara.

É recomendado que o tutor esteja sempre presente, oferecendo carinho e atenção ao pet. A própria estabilidade emocional do dono reflete positivamente na saúde mental do animal. Qualquer mudança de comportamento, consulte um médico veterinário.

Texto: Winicius Tavares
Fotos: Maksuel Martins/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *