Janis Joplin: Ícone Beat que Entrou Para o “clube dos 27” – Por @Adnoelp

tumblr_njowypTbPI1u8o8qyo1_1280

Por Adnoel pinheiro

Janis Joplin nasceu em 1943, em Los Angeles e morreu em 1970 (aos 27 anos) na mesma cidade, vítima de overdose de heroína. A bebeu na fonte de muitos artistas que só depois da geração de Joplin, The Doors e Beatles vieram e ser mundialmente conhecidos como: Billie Holiday, Aretha Franklin, Etta James e muitos outros que se não tivessem existido e sido precursores do blues e soul Music, dificilmente eu escreveria este texto.

images (5)Fato incontestável é que Janis Joplin viveu em uma época atípica do Rock and Roll e dos movimentos sociais, onde a transgressão era movida pela vontade irremediável por liberdade sexual, de expressão e liberdade de consciência. Uma época realmente contra cultural e de muito conteúdo de ótima qualidade e obviamente de muitos exageros.

Outro fator muito importante, curioso e mítico envolvendo os artistas do ramo musical e especificamente do mundo Rock and roll são as coincidentes mortes aos 27 anos de idade chamado de “clube dos 27”, onde, podemos encaixar Robert Johnson, musico de blues, que teria morrido por um suposto envenenamento num bar, pessoas mais supersticiosas afirmam que o mesmo tinha pacto com o diabo, brian Jones, fundador dos Rolling Stones também morreu aos 27, Jimi Hendrix foi vítima de asfixia pelo seu próprio vômito entre outros que gastaríamos horas comentando.tumblr_m7w0129b9T1qlvqfxo1_1280

Joplin sempre foi reconhecida por ser um dos ícones da cultura beat inserida no Rock and Roll, por sua voz rouca inconfundível e seu talento formidável. Exatamente na data de 19 de janeiro, aniversário de morte, completaria 73 anos de idade. Amigos e especialistas afirmam que a cantora gostava de tomar licor de frutas que continha uísque como base, logo depois se viciou em heroína, fato, que se tornou prioridade em detrimento de sua carreira, e, foi nesse momento que esse mistura letal tirou sua vida. Superstições, misticismo e sensacionalismo a parte, a grande verdade, é que esses artistas jamais serão esquecidos, pois viveram em um momento único, onde, a morte se tornou totalmente irrelevante em relação à vontade de viver intensamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *