Júnior Favacho apresenta critérios técnicos e cita logística e infraestrutura para defender mudança no local da Expofeira

O presidente da Comissão de Agricultura e Abastecimento (CAB) da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), Júnior Favacho (MDB), voltou a defender que o Governo do Estado (GEA) estude um novo local para a realização da 52ª edição da Expofeira do Amapá, proposta que foi apresentada pela CAB em forma de propositura na última segunda-feira (8). O parlamentar explicou que a sugestão é baseada em critérios técnicos, mas também atende a demanda de pequenos empreendedores e ambulantes que almejam obter renda nos dias de evento.

O documento encaminhado pela comissão propõe que o GEA estude a possibilidade de realizar a próxima edição da Expofeira na zona Norte de Macapá. De acordo com Júnior Favacho, esse é um pedido recorrente da população, principalmente de empreendedores, comerciantes e pessoas de baixa renda que encontram dificuldade no deslocamento até o antigo local, no parque de exposições da Fazendinha, e avaliam como positiva uma mudança para a zona Norte.

“Muitos microempreendedores e ambulantes esperam a oportunidade da Expofeira para ofertar produtos e serviços nos dias de evento, e a zona Norte oferece uma logística melhor para essas pessoas. Foi para atender a uma demanda delas que fizemos essa sugestão. Além disso, a zona Norte registrou um crescimento populacional significativo desde a última edição da Expofeira, há quase dez anos, e é necessário pensar na oferta de transporte público para as pessoas que residem nessa área da cidade”, alertou.

Favacho também demonstrou preocupação com outra questão logística: as obras de melhoria da infraestrutura da rodovia JP. “Essa região já apresentava problemas de trafegabilidade nas edições anteriores da feira, e isso deve ficar ainda mais sensível, caso as obras da rodovia já tenham sido iniciadas durante o evento, como está previsto”. O deputado lembrou ainda que a rede de distribuição de energia elétrica que atende a região está colapsada e não suporta a demanda.

Outro argumento citado pelo parlamentar é o de que no espaço utilizado para a realização da Expofeira está prevista a construção do Distrito Industrial de Macapá. Isso obrigatoriamente fará com que o evento precise de ser realizado em uma outra localidade futuramente. Diante disso, Júnior Favacho defendeu que a Expofeira tenha uma estrutura provisória, que possa ser montada unicamente para a realização do evento, e desmontada ao final, a exemplo do que acontece na maior feira de tecnologia agrícola da América Latina, a Agrishow.

“A estrutura onde anteriormente era realizada a Expofeira só recebia manutenção durante a realização do evento e depois não era mais utilizada, ou seja, é dinheiro público sendo desperdiçado em uma estrutura que o estado só utiliza por alguns dias o ano inteiro”, ressaltou o parlamentar.

Segundo o deputado, a CAB também levou em consideração os produtores rurais dos demais municípios amapaenses, que precisarão se deslocar do interior do estado para o local do evento. “A Expofeira é uma opção de lazer e entretenimento para o público, mas não podemos esquecer que ela é realizada principalmente para valorizar o trabalho dos homens e mulheres do campo que trabalham diariamente para contribuir com o desenvolvimento do estado. A comissão está empenhada em apoiar esses trabalhadores”, afirmou.

Novas Ideias

Além de sugerir a mudança do local da Expofeira, a CAB apresentou outras propostas para otimizar a realização do evento. Entre elas está a criação de um espaço dedicado à tecnologia e inovação, e um outro para discutir o papel da mulher no agronegócio e na agricultura familiar. A comissão também sugeriu soluções sustentáveis para a Expofeira, como a instalação de um sistema de energia fotovoltaica e de ecopontos para o recolhimento de materiais recicláveis.

Assessoria de comunicação 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *