Justiça acolhe pedido do MP-AP e decreta a prisão preventiva de acusado de feminicídio

Em decisão publicada no início da madrugada de hoje (10), no plantão judicial, o magistrado Moisés Ferreira Diniz acolheu pedido do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e decretou a prisão preventiva do Policial Civil, Leandro Silva Freitas, acusado de matar Ana Katia Almeida da Silva, no último dia 8.

No parecer do promotor de Justiça plantonista, André Araújo, o MP-AP sustentou haver fortes indícios de autoria por parte do acusado, inclusive com exame residuográfico positivo, indicando o uso recente de arma de fogo.

Além disso, o promotor destacou a gravidade do fato e a forte repercussão do evento, que vitimou Ana Kátia com um tiro, justificando o pedido de conversão do flagrante em prisão preventiva para a garantia da ordem pública.

Na decisão, o magistrado destacou que: “As condições pessoais do custodiado precisam ser conjugados com seus registros para melhor avaliação judicial de natureza cautelar, sem que isso pressuponha juízo de culpabilidade, mas de periculosidade, a fim de se avaliar necessária ou não sua prisão, para a preservação da ordem pública, e a manutenção da paz no convívio social. E adianto ser o caso de lhe aplicar a medida extrema segregatória.”.

Com a decisão, o acusado permanecerá preso até que se concluam as investigações pela Polícia Civil e, caso indiciado, poderá ser denunciado à Justiça pelo Ministério Público para responder à ação penal.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *