Justiça acolhe tese do MP-AP e condena réu a 14 anos de prisão por homicídio qualificado

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) participou na última quarta-feira (30), no Fórum de Macapá, do julgamento de Ledes do Carmo Oliveira, de 32 anos, acusado de homicídio qualificado. O crime ocorreu em 2017 e vitimou Silvio Maciel Pereira. A sessão foi presidida pela juíza da Vara do Tribunal do Júri de Macapá, Simone Moraes dos Santos.

O MP-AP foi representado pela titular da 2ª Promotoria de Justiça do Tribunal do Júri, promotora de Justiça Klisiomar Lopes. Na ocasião, os jurados acolheram integralmente a tese do órgão ministerial e o réu, vulgo “Led”, foi condenado a 14 anos de reclusão por homicídio qualificado, em regime fechado.

Ledes foi preso há um ano e nove meses, preventivamente, em 10 de dezembro de 2018. Multireincidente, ele é condenado em outros dois processos pela 3ª Vara Criminal de Macapá, N° 0018126-18.2015.8.03.0001 e 0027750-72.2007.8.03.0001.

Sobre o crime

De acordo com as investigações, Silvio Maciel Pereira foi morto em 2 de novembro de 2017, por volta das 7h30 da manhã, na Avenida Pantaleão Gomes Oliveira, no bairro São Lázaro, zona norte de Macapá. Ainda segundo o inquérito, o assassinato foi resultado de uma animosidade que o condenado nutria contra a vítima, que impulsionou a prática homicida, ou seja, por motivo torpe e sem chance de defesa da vítima, uma vez ter sido surpreendida com disparos de arma de fogo, pelas costas, quando entrava em sua residência.

Ledes efetuou disparo de arma de fogo contra Silvio, que morreu no local, em via pública, conforme laudo de exame pericial necroscópico encartado nos autos. O condenado, inclusive, confessou o crime durante o julgamento.

“O MP-AP está empenhado em dar uma resposta para a população e subsidiar o Judiciário para que a Justiça seja feita. O condenado não deu chance alguma de defesa à vítima, conforme se demonstrou através das provas nos autos. Mais uma vez, o Ministério Público cumpriu seu papel. Seguiremos realizando nosso trabalho com a responsabilidade que essa atividade exige”, frisou a promotora de Justiça Klisiomar Lopes.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *