Lei Aldir Blanc apoiará live de Carnaval das escolas e blocos

Foto: Max Renê

Por Railana Pantoja

Após o pagamento de quatro editais, a Secretaria Estadual de Cultura do Amapá (Secult/AP) anunciou que as lives de carnaval das escolas e blocos terão apoio financeiro da Lei Aldir Blanc em 2021.

“Temos aí o pagamento dos artistas dos editais da Lei Aldir Blanc. Fizemos nove editais e já pagamos quatro, o que soma mais de R$ 5 milhões. Temos o edital da semana da consciência negra, de R$ 636 mil; um de premiação, em homenagem ao Siney Saboia, que foi nosso querido maestro da Guarda Municipal de Macapá; temos ainda um prêmio para afrodescendentes, destinado a quem tem contribuição cultural no Amapá; e o edital da live do Carnaval”, anunciou o secretário de cultura do Amapá, Evandro Milhomem.

Titular da Secult/AP, Evandro Milhomen – Foto: Diário do Amapá.

Segundo o secretário, as lives serão um momento de distração para os foliões, que não irão pular carnaval nas ruas neste ano.

“Como não teremos o carnaval presencial, aproveitamos e colocamos valores para atender as escolas de samba e blocos de carnaval, o que somará R$ 420 mil. A live será um momento de alento nessa pandemia e faremos para evitar aglomeração, não queremos que as pessoas morram”, frisou Milhomem.

De acordo com Evandro Milhomem, cada escola ou bloco será responsável por buscar a empresa que realizará a live de carnaval.

“No edital está determinado isso: a organização da transmissão fica por conta das escolas e blocos de carnaval, os dirigentes devem ficar atentos a essa questão interna”, especificou.

Foto: Max Renê

Lei

A Lei Aldir Blanc foi criada para atender de forma emergencial o setor cultural durante a pandemia, considerando que o segmento foi um dos mais afetados.

“Temos R$ 16 milhões destinados ao auxílio emergencial da nossa classe artística, que está sendo contemplada com esses recursos e trabalhará no primeiro semestre. Tudo isso para suportar a pandemia, até que possamos nos reunir novamente. A cultura, assim como outras atividades coletivas, teve que parar. Então, enquanto a vacina não chega para todos, vamos apoiar os artistas com a Lei Aldir Blanc”, finalizou o secretário Milhomem.

Fonte: Diário do Amapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *