Lição de Tancredo Neves aos “pidões”

Toda vez que iniciam novas gestões, republico este texto. Aí vai:

A historinha é bastante conhecida. Conhecida, é repetida por muitos. Por muitos repetida, virou praticamente uma máxima na política.

As campanhas, vocês sabem, são fluidas. Existem aqueles que se definem logo por este ou aquele candidato.

Outros, não. Preferem esperar a vitória se consumar. E aí passam a dizer que apostavam na vitória do vencedor desde criancinhas.

Tancredo Neves, vocês sabem, era um mestre na política. Tão mestre que desconcertava até mesmo os insistentes pidões de cargos que não tinham pejo, não tinham pudores, não tinham, enfim, simancol algum em insinuar-se indicando que gostariam de ser nomeados para algum cargo, preferencialmente os de primeiro escalão.

Pois quando alguém lhe cobrava uma nomeação, Tancredo respondia: “Rapaz, diga que eu convidei e que você não aceitou”.

Meu comentário: onde trabalhei e trabalho, cheguei à convite. Foi assim nas duas gestões no Governo do Amapá (GEA), Prefeitura de Macapá (PMM) e duas administrações do Tribunal Regional do Amapá (TRE). Tenho capacitação técnica, vontade de acertar, ausência de preguiça e total incompetência pra bajulação. Me orgulho disso. Grande Tancredo!

Fonte: Espaço Aberto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *