Longa-metragem com Fernanda Vasconcelos e Zezé Motta será gravado no Amapá

Belezas turísticas no Amapá serão exploradas no filme ‘Amanda’ — Foto: Divulgação

Por Jorge Abreu

A partir de 2019, o longa-metragem “Amanda” será gravado no Amapá e vai explorar as belezas turísticas e áreas preservadas, por questões indígenas ou quilombolas. O enredo conta a trajetória de uma paulista envolvida em lutas sociais e o forte engajamento político.

“Amanda” tem a direção do amapaense Célio Cavalcante Filho, com roteiro original escrito por Diogo Mattos e Rodolfo Valente, que também atual nos papéis de Miguel e Eduardo, respectivamente.

A protagonista será a atriz Fernanda Vasconcelos, que já protagonizou as novelas Paginas da Vida, Malhação e Sangue Bom, na TV Globo. Também compõem o elenco Zezé Motta e Fábio Lago.

Segundo o diretor, a proposta é contrastar a realidade dos municípios amapaenses com uma grande metrópole, questionando o que é ser de fato evoluído e o real progresso, trazendo de volta alguns valores que se perderam na época onde se tem tão pouco tempo.

“O filme será rodado na cidade de São Paulo e em, pelo menos, seis municípios do Amapá, sendo 90% do filme se passa no estado. É a oportunidade de mostrar para o mundo um pouco da nossa gente e dos nossos valores, principalmente por estarmos no meio da Floresta Amazônica”, prevê.

Fernanda Vasconcelos, Rodolfo Valente, Fábio Lago e Zezé Motta — Foto: Divulgação

Sinopse

Em meio à crise política, a história quer mostrar um lado dos brasileiros no qual usam como armas as redes sociais e saem para as ruas em protestos na defesa de opiniões e lados, sem ouvir o outro, mas focados em pessoas preocupadas com o bem comum e que respeitam as diferenças.

Com anos de vivência na capital amapaense, Amanda retorna a São Paulo, cidade de origem, para fazer doutorado. Ao reencontrar velhos amigos, ela decide dar uma nova chance ao antigo namorado, Miguel. Ela retoma as lutas sociais e ao forte engajamento político.

Após um trágico acidente, Miguel e Eduardo, irmão da Amanda, partem para o norte do Brasil em busca de saber sobre as experiências da protagonista. No entanto, a viagem se torna o encontro com eles mesmos e antigos ideais, além do contato com o universo desconhecido da Floresta Amazônica, resgatando valores perdidos de um país que ainda pode dar certo.

Produção do filme na Fortaleza de São José, um dos cenários do filme — Foto: Divulgação

Produção

Um pré-levantamento da região para as gravações já chegou a ser feito, mas a pesquisa oficial só inicia a partir de janeiro de 2019. O processo será acompanhado por Célio Cavalcante Filho e o preparador de elenco Christian Duurvoort, responsável pelos filmes “Cidade de Deus”, “Trash” e “Ensaio sobre a cegueira”, com auxílio do produtor Thomé Azevedo.

Mais de 20 atores locais para papéis de linha de frente na história e cerca de 200 figurantes devem participar da obra. A escolha do elenco será através de chamadas públicas de testes. As filmagens estão previstas para acontecer entre junho e agosto do ano que vem. O orçamento do longa é no valor de R$ 4,3 milhões.

O lançamento ainda não tem data oficial definida. Segundo Cavalcante Filho, de imediato no filme e partir para todas as etapas de pós-produção aproveitando a janela dos festivais internacionais que iniciam as inscrições entre outubro do ano que vem e março de 2020. A primeira janela é composta de festivais internacionais, depois os festivais nacionais, e, então, o circuito comercial de cinema.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *