Luzes, câmeras, continuação!

hollywood

Por Silvio Neto

Desde que o cinema virou indústria, isto é, desde que o cinema é cinema, autores, diretores e, principalmente, produtores da sétima arte, criaram uma fórmula certeira de ter retorno financeiro para seus projetos milionários. Claro que estamos falando aqui, basicamente, das produções de Hollywood que, com o passar do tempo e em meio a crises econômicas e mudanças tecnológicas, primeiro lançou uma série de remakes (literalmente, refilmagens de filmes bem sucedidos) e, na sequência, uma interminável lista de continuações de filmes que atingem grandes bilheterias, sem falar nas adaptações, cada vez mais comuns, de best sellers consagrados pelo público infanto-juvenil.14021-mlb2909614839_072012-o

Já dizia Lavoisier, “Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, que o Velho Guerreiro, o Chacrinha, transformou aqui no Brasil (para o meio onde ele mais atuou) em “Na televisão, nada se cria, tudo se copia”. E nós podemos seguir nessa linha e afirmar: No cinema, nada mais se cria e, quando se cria é uma continuação – nem sempre criativa…

Veja, por exemplo, o clássico oitentista De Volta para o Futuro (Back to the future; 1985). É um filme completo. A história não precisava ter uma continuidade em De Volta para o Futuro II (Back to the future II; 1989) – que é uma boa continuação, apesar de desnecessária. E muito menos, precisariam forçar uma barra com De Volta para o Futuro III (Back to the future III; 1990) que é muito ruim!

my_girl_filmeOutro exemplo que chega a ser cômico: Meu primeiro amor (My girl; 1991) e Meu primeiro amor II (My Girl II; 1994). Fico pensando: não seria melhor “Meu segundo amor”??? Sim, porque o “primeiro amor” da menina morreu no primeiro filme… (Ah, vá! Vai dizer que você não sabia?).

Dando um desconto para essas porcarias de best sellers que estão sendo adaptados e que já têm suas continuações naturais nos livros, temos verdadeiras inutilidades como a continuação de 300 (2006). É como alguém querer fazer Titanic II! 300 é uma história baseada na mítica guerra de Troia. A guerra não teve uma continuação. Muito menos é necessário fazer um segundo filme contando os antecedentes de Esparta!meu-primeiro-amor-parte-2

Sei que o tema é muito abrangente e que isso renderia muito pano pras mangas. Mas, para encerrar esse post, eu não poderia deixar de falar em Guerra nas Estrelas (Star Wars; 1977, 1980 e 1983). Primeiro lançaram mais uma trilogia em 1999, 2002 e 2005. DESNECESSÁRIO! E agora estão pra lançar mais um. AINDA MAIS DESNECESSÁRIO! A trilogia original é, de longe, a trilogia mais completa da História do cinema. Não precisava mais fazer nada! Não interessa a ninguém ver o Luke Skywalker no jardim de infância, ou saber da vida do Chewbacca quando ele ainda nem tinha tanto pelo!

24c2b3dddf3fee01eddc38fe215c813aÉ por essas e outras, que eu agora costumo ir à locadora pra pegar filmes bem antigos, do tempo que o cinema, apesar de ser indústria, não era um mercado de franquias, tal qual uma rede de fast-food.

P.S.: Sim, aqui no Amapá, devido à falta de uma internet de boa qualidade, ainda frequentamos vídeo locadoras. Mas a tecnologia blue-ray já chegou por aqui!

Fonte: A VIDA É FODA…

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*