Macapá 300 anos: Macapá contará com 56 pesquisas científicas para ajudar a administração em políticas públicas para serem desenvolvidas

Nos três dias do 1° Congresso Científico Macapá 300 Anos, abordando a Macapá de hoje e planejando a capital em uma visão futura para os próximos 40 anos, foram submetidos 71 trabalhos para análise. Destes, 58 foram selecionados e 56 apresentados, com 148 autores e coautores, e 572 inscritos.

O congresso foi organizado pela Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia da Informação, realizado em formato de Live e transmitido pelo canal do YouTube da Prefeitura de Macapá, nos dias 9, 10 e 11 de dezembro. Pela manhã e tarde, ocorreram as apresentações dos pesquisadores, com temas diversos como combate à violência, educação, diversidade, religiosidade, cultura, saúde e temas atuais como a pandemia de Covid-19.

O Congresso Macapá 300 Anos surgiu com os 260 anos da cidade, pensando na projeção de como, nos próximos 40 anos, as melhorias poderão ser aplicadas de forma planejada. De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia da Informação, Paulo Mendes, o congresso foi muito proveitoso e apresentou pesquisas importantíssimas, com estudos sobre Macapá.

“Recebemos proposta de intervenção com projetos arquitetônicos, criação de centros para vítimas de violência, casa para estudantes quem vem do interior. Pesquisas de violência contra homossexuais e também contra mulheres, com levantamento de dados, entrevistas. Na área ambiental, tivemos pesquisa de áreas de ressacas, levantamento ambientais e urbanos, com produção de mapas, tiveram estudos sobre Covid-19 e seu impacto no munícipio, na área histórica teve pesquisa sobre o povo judeu em Macapá, entre outros. Estes trabalhos de pesquisadores serão importantes para que as próximas administrações possam utilizar para realizar uma cidade planejada, para curto, médio e longo prazo”, destaca Paulo Mendes.

Os trabalhos foram avaliados pela Comissão Científica, presidida pela professora e mestra Greice Souza, formada pelos professores mestres Cirilo Simões e Corina Palheta, o Congresso recebeu a presença dos pesquisadores da Universidade Estadual do Amapá (UEAP), inclusive a reitora professora doutora Kátia Paulino, também de alunos e professores dos mestrados em Letras, Desenvolvimento Regional e Educação da Universidade Federal do Amapá (Unifap).

Todos os artigos científicos serão publicados em obras pela editora do Senado Federal, articulação possível por meio do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para que os artigos se tornem livros. As pesquisas irão contribuir com futuras pesquisas de outros cientistas e pesquisadores, ajudando nesse planejamento da cidade Macapá 300 anos.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Pérola Pedrosa
Assessora de comunicação
Fotos: Cleito Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *