Macapá adere ao Hora do Planeta 2016

d9a30c76bc64f924c74402cd775fa9b5_XL

A oitava edição da Hora do Planeta, promovida pela organização ambientalista WWF-Brasil, acontece no sábado 19 de março, quando milhares de pessoas, cidades e empresas apagarão as suas luzes por sessenta minutos, entre 20h30 e 21h30. Iniciativa mundial da Rede WWF, a Hora do Planeta é um grande ato simbólico que serve de alerta às ameaças do aquecimento global.

Este ano, já estão confirmadas 44 cidades brasileiras, incluindo as capitais Macapá (AP), Maceió (AL), Boa Vista (RR), Porto Alegre (RS), Rio Branco (AC), Recife (PE), Vitória (ES) e Palmas (TO).

Macapá vai apagar as luzes da Prefeitura, do Prédio do Ministério Público Estadual, da Câmara de Vereadores, da Fortaleza de São José de Macapá e do Marco Zero do Equador.

Na capital de Alagoas, as luzes do Memorial à República, do Memorial Teotônio Vilela e a Associação Comercial serão apagadas durante a Hora do Planeta.

A capital de Roraima irá apagar a praça do Triângulo e os monumentos ao Garimpeiro e aos Pioneiros. Na capital gaúcha, a fonte luminosa do Parque da Farroupilha e os monumentos ao Laçador e ao Expedicionário terão as luzes apagadas durante a celebração.

Além destas, Uberlândia (MG), Poços de Caldas (MG), Joinville (SC) e Presidente Prudente (SP) são algumas das outras cidades que também aderiram. Osasco e Barueri, na região oeste da Grande São Paulo, assinaram o Termo de Adesão e informaram ao WWF-Brasil que irão realizar passeios ciclísticos no dia 19 de março para envolver a população na campanha.

“Para o WWF-Brasil, a Hora do Planeta é um momento único de mobilização. A cada ano, envolvemos um número maior de representantes de diversos segmentos da sociedade em uma grande reflexão, não só sobre o aquecimento global, mas também sobre a adoção de novos hábitos e maneiras de se relacionar com o meio ambiente”, afirma o secretário-geral do WWF-Brasil, Carlos Nomoto. Ele lembra que, em 2015, a campanha reuniu cidades em 170 países, apagando ícones como a Torre Eiffel (Paris), o Big Ben (Londres) e as Pirâmides de Gizé (Egito).

Como aderir à Hora do Planeta?

Para aderir ao movimento, as cidades interessadas devem entrar em contato com o WWF-Brasil pelo e-mail cidades@wwf.org.br. As cidades recebem um Termo de Adesão, que deve ser assinado por alguma autoridade local indicando quais monumentos e prédios públicos ficarão apagados durante a Hora do Planeta.

No ano passado, a Hora do Planeta contabilizou 185 cidades no Brasil, incluindo todas as capitais e o Distrito Federal. O número representa 41 cidades a mais do que no ano anterior, que detinha o maior envolvimento nacional desde a primeira edição da campanha no país, em 2009. Juntos, os municípios brasileiros apagaram mais de 627 ícones (entre monumentos, espaços públicos e prédios históricos) em 2015.

Sobre a Hora do Planeta

A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. Desde sua primeira edição, em março de 2007, a Hora do Planeta não para de crescer. O que começou como evento isolado, em uma única cidade, Sidney, na Austrália, tornou-se uma ação global, envolvendo um bilhão de pessoas em mais de 7 mil cidades de 162 países e territórios. Alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais, entre elas, as pirâmides do Egito; a Torre Eiffel, em Paris; a Acrópole de Atenas e – até mesmo – a cidade de Las Vegas já ficaram no escuro durante sessenta minutos. No Brasil, a Hora do Planeta acontece oficialmente desde 2009. Promovido pelo WWF-Brasil, o movimento reúne cidades, empresas e pessoas em todas as regiões do país.

Sobre o WWF-Brasil

É uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996 e sediado em Brasília, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Sobre a Rede WWF

A Rede WWF é uma das maiores organizações ambientalistas independentes do mundo. Ela tem o apoio de quase 5 milhões de pessoas e uma rede mundial ativa em mais de 100 países. A missão da Rede WWF é acabar com a degradação do meio ambiente natural do planeta e construir um futuro onde os seres humanos vivam em harmonia com a natureza, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais renováveis e promovendo a redução da poluição e do desperdício de consumo.

Fonte: Diário do Amapá

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*