Maestro faz campanha na web para ajudar violinista a viajar para Guiana

12400782_972453212807710_9057942124699212908_n

Por Fabiana Figueiredo

O violinista amapaense Abner Campos, de 13 anos, recebeu um convite para participar de um concurso de música erudita na Guiana Francesa na segunda quinzena de março. O músico ganhou destaque em projeto social no Amapá e conheceu a Orquestra Filarmônica de Berlim em 2014.

Nas redes sociais, o maestro Elias Sampaio, que vai acompanhar Abner, iniciou uma campanha pedindo ajuda financeira para chegar à cidade Saint-Laurent-du-Maroni, na fronteira da Guiana Francesa com o Suriname.

O concurso chamado de “Les Pirogues Musicales” é organizado por uma escola do governo francês. Participam da avaliação músicos e instrumentistas que estudam algum instrumento erudito há pelo menos 4 anos.

“A partir do nosso trabalho e a divulgação dele, convidaram o Abner para participar do concurso, que reúne jovens talentos de todo o mundo. Nesse convite eles dão a alimentação e estadia, mas ele tem que chegar lá com os próprios meios. Essa oportunidade pode abrir portas para que ele estude fora do país. E ele tem chances reais de ganhar”, explicou Sampaio, maestro da Orquestra Essência.

Para participar da competição, os dois planejam angariar R$ 1,5 mil, que vai custear o transporte terrestre até a cidade francesa. Outras informações e doações podem ser feitas através do contato (96) 98100-2457.

“É importante ajudar esse garoto. Ele já foi tema de matérias nacionais e é muito talentoso. Então a gente perde muito em não ajudar crianças assim. Pedimos ajuda de empresários e pessoas que querem ajudar”, acrescentou Sampaio.

Músico

1559608_1063234913735929_7878077463288500284_nEm 2014, Abner realizou o sonho de conhecer a Orquestra de Berlim após receber convite do governo alemão. O pequeno músico sonha em integrar a filarmônica europeia.

Estudante de escola pública de ensino integral, o amapaense toca violino desde os 8 anos, quando começou a participar de um projeto social em Macapá que utiliza a música como ferramenta para levar cidadania a jovens em situação de risco social. Ele tem como maiores incentivadores os pais e os tios, que também são músicos.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *