Marabaixo 2019: prefeitura homenageia comunidades marabaixeras

A prefeitura da capital do Amapá lançou na noite de sábado, 13, o Ciclo do Marabaixo 2019. Os 35 grupos de Marabaixo de Macapá foram homenageados com a comenda Marabaixo – a Arte Ancestral da Tradição Cultural Afro-brasileira, como uma forma de reconhecimento e incentivo às manifestações culturais.

O diretor-presidente do Instituto de Promoção da Igualdade Racial, Maykom Magalhães, ressaltou a importância do momento. “Só no Encontro dos Tambores que conseguimos reunir tantas comunidades marabaixeras. E mais diversas pessoas que têm ajudado a alavancar essa cultura, que é tão importante e legítima, que é o Marabaixo. Por isso, estou muito feliz”, disse.

A Prefeitura de Macapá vem apoiando e fomentando a cultura do Marabaixo ao logo dos anos. A representante das comunidades, Valdinete Costa, agradeceu ao prefeito Clécio pelo evento e pela homenagem. “Precisamos de atitudes como essa, por menores que sejam, para que possamos alavancar o nosso Marabaixo”, acrescentou.

As homenagens visam o fortalecimento da cultura tradicional e religiosa a partir da agregação de valores que viabilizem a preservação do patrimônio do povo negro. O senador Randolfe Rodrigues lembrou que o Marabaixo está ligado à história. “É a manifestação cultural que tem mais identidade com as raízes negras e que resistiu à escravidão e está aqui até hoje”, ressaltou.

Com o lançamento do projeto Ciclo do Marabaixo 2019, a Prefeitura de Macapá visa incentivar e difundir as ações de promoção da igualdade racial, estimulando o desenvolvimento de políticas públicas de combate à desigualdade social e racial na capital amapaense. O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, reafirmou o compromisso com a cultura. “Não tenho dúvida de que o Marabaixo é um movimento que transcende gerações e que confiamos em vocês para passar essa tradição para as futuras gerações. Todo apoio que dermos ao Marabaixo é pouco perto do que é feito ao longo desses anos”, discursou.

O ponto alto da festa foi quando o prefeito Clécio Luís, senadores e demais autoridades fizeram a entrega da comenda aos grupos tradicionais de Marabaixo, como uma forma de fazer referência ao status que a cultura recebeu pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ao elevar o Marabaixo ao título de Patrimônio Imaterial do Amapá. Clécio ressaltou que se o Marabaixo chegou até aqui é devido à sua carga de cultura, pois ele é uma cultura ancestral. “O Marabaixo é a maior identidade cultural do Amapá, pois é ele que nos une. Da resistência inicial até hoje, houve um salto na consolidação e na autoafirmação da nossa negritude, que é isso que verdadeiramente importa”, ressaltou.

O momento mais emocionante da festa foi quando uma das pioneiras do Marabaixo, Tia Zefa, de 103 anos, entregou sua comenda ao prefeito Clécio como uma forma de agradecimento e retribuição pelo fomento à cultura do Marabaixo. E ainda emocionou a todos cantando o famoso ladrão “Rosa Branca Açucena ô Lê, Lê. Case com a moça morena ô Lê, Lê!

Participaram também da solenidade o secretário de Estado da Cultura, Evandro Milhomem, o representante do Iphan, Evandro Barros, a representante do Conselho de Igualdade Racial, Laura Ramos e a diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Marina Backman.

Adryany Magalhães
Assessora de comunicação/PMM
Fotos: Nayana Magalhães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *