Marcelo Guido gira a roda da vida pela 40ª vez. Feliz aniversário, irmão!

Marcelo Guido gira a roda da vida pela 40ª vez nesta Sexta-feira Santa. De santo ele não tem nada. Nem religioso o maluco é. Mas é um cara porreta e um irmão de vida e, graças a Deus, ele conseguiu chegar até aqui. Ao mano velho, rendo homenagens hoje.

Trata-se de um brother muito presente, fiel aos seus ideais e suas pessoas. Admiro o figura por isso. O cara é pai da Lanna e Bento, marido da Bia, jornalista e assessor de comunicação, ateu (daqueles chatos) ex-blogueiro, vascaíno calejado (com muito amor por esse time e resignado pelo sofrimento), remista, colaborador deste site (onde assina a sessão “Discos que Formaram o meu caráter” e escreve crônicas sobre futebol), amante de rock and roll e futebol, fã Nº 1 dos Ramones e velho amigo deste editor.

Guido é um cara de poucos amigos. Amigos mesmo, de verdade. Marcelo vive como quer, nos seus próprios termos. Acho que melhor que amigo, o papel que ele desempenha com excelência é o de ser pai.

Quando vou na casa dele e da Bia, a gente fala sobre tudo. É papo sobre família, nossos brothers, séries, filmes, bandas, shows, discos, quadrinhos e muita merda. Fazemos piada de tudo, de todos e até da gente mesmo.

Já disse e repito: para quem não é da época (ou não sabe), nos anos 90, eu e Marcelo éramos de uma galera de malucos. A gente caía dentro da porrada e vencia todos. Além disso, foi muita cana, muito tudo. A gente sobreviveu por um milagre (sim, mais uma referência religiosa no texto de parabéns a um ateu). Guido também foi um dos caras que me deram força na época da morte do meu pai, em 1998. Sou grato por isso.

O Guido segue com um temperamento explosivo. Ainda esbraveja aos quatro cantos quando provocado. Eu um pouco menos que antes. Mas ele é um cara do bem, mesmo com suas regras severas sobre pessoas com quem se relaciona (sempre converso com o brother sobre isso).

Já disse e repito: admiro o pai de família que o Guido se tornou. Às vezes, ele ainda me tira do sério e fico puto com o figura. O sacana vive tirando onda comigo por ser gordo, o que me deixa mordidaço. Sorte dele que come que nem uma escavadeira hidráulica e não engorda, o frescão. Mas depois passa e a gente segue como amigos.

Hoje em dia, eu a caminho dos 44 anos e ele com 40, não somos nem de longe aqueles caras dos anos 90 e década de 2000. A gente era nó-cego, mas nos tornamos caras legais. Faz tempo que não quebramos ninguém na porrada – e nem estamos com saudades disso.

O Guido é uma força da natureza. Se gostar de você, é um puta dum amigo. Um cara Phoda mesmo! Se não der valor em ti, é encrenca certa. Com os parceiros, é um malandro engraçado e 100%. Além de forte defensor de suas opiniões.

A gente segue a jornada da vida pirando junto, se ajudando mutuamente e com muito humor negro, paixão e brodagem. E sem perder a ternura. Quando a gente se encontra é a certeza de uma boa bebida, bons papos e alegria. Amo esse doido varrido!

Guido, mano velho, sei que posso contar contigo e sabes que é recíproco. Que teu novo ciclo seja ainda mais porreta. Que tu tenhas sempre saúde e sucesso junto aos seus amores. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares (e falo também pelo Emerson Tavares, meu irmão, que também é irmão do Marcelo Guido e certamente pelo Anderson Miranda, o “The Clash”).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *