As Mirandas que encontramos na vida

CNT_EXT_249925 (1)

Quem curte cinema lembra-se da Miranda Priestly, a nojenta editora de uma revista de moda famosa, interpretada por Meryl Streep, no filme The Devil Wears Prada ( O Diabo Veste Prada).

Então, conheço algumas “Mirandas” que vivem a atazanar a vida dos outros. É, tem gente mestre na arte da escrotidão. Ah, se tem.

Uma em especial parece muito com a do cinema, só não possui a fineza (mas pensa que sim) e nem a sinceridade da personagem de Streep. A editora do filme deixava claro quem era para todos e não dava uma de “gente boa”, de acordo com sua conveniência.

Fico só observando essas figuras, que pensam ser a bala que matou Lennon, o supra sumo da competência, mas não são. Ainda bem que, apesar de continuar um cara cascudo, brabo, encrenqueiro, irônico e genioso, aprendi a lidar com elas.

Portanto, querido leitorado, não dê moral para este tipo de canalha. A não ser que já seja “assédio moral”, ignorem as “Mirandas”, pois é tudo que elas não querem. É isso!

Elton Tavares

*Texto republicado, pois algumas coisas nunca mudam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *