Moedas e Curiosidades – “A Campanha de Galípoli” – (Parte IV) – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Mais uma moeda da minha coleção carregada de história, desta vez trata-se da moeda que homenageia Winston Leonard Spencer-Churchill, nascido em 30 de novembro de 1874 e falecido em 24 de janeiro de 1965, moeda feita de cupro-níquel, 75% cobre e 25% níquel, com 28,3 gramas de peso e diâmetro de 39 mm, com valor facial de uma coroa (1 Crown), tem no seu anverso a imagem de Winston Churchill e no reverso a imagem da rainha Elizabeth II.

Sir Winston Churchill era um excelente orador e estadista notável, ele também foi oficial no exército britânico, duas vezes primeiro-ministro (1940-45 e 1951-55) e recebeu o prêmio Nobel de literatura em 1953, mas a vida de Winston Churchill não foi feita apenas de vitórias e glórias, em 1915 ele ocupava o cargo de “Primeiro Lorde do Almirantado” (responsável pela marinha britânica) e tomou uma desastrosa decisão que quase decretou o fim da sua carreira.

A Campanha de Galípoli, também conhecida como a Batalha de Dardanelos, teve como palco a península de Galípoli (em turco Galibolu) na Turquia, durante a I Guerra Mundial.

No início de 1915 os aliados da Tríplice Entente e a Alemanha se encontravam numa situação de impasse na Frente Ocidental. A melhor maneira de a Grã-Bretanha e a França colocarem um fim ao impasse e estabelecerem ligação com o seu aliado isolado, a Rússia, seria através de um ousado “Coup de Main” (Mão Amiga), um ataque surpresa visando conquistar os Dardanelos do Império Otomano, ocupando Constantinopla (hoje Istambul) e pôr a Turquia fora da guerra.

O plano de Churchill consistia em enviar navios de guerra da marinhas britânicas e francesas à luz do dia, para abrir caminho à força por entre os velhos fortes da Turquia ao longo do estreito dos Dardanelos e criar uma ligação marítima com a Rússia.

Essa ousada intervenção naval, que alguns previram que rivalizaria a do dramático ataque do almirante Nelson em 1801 à esquadra dinamarquesa abrigada em Copenhaga, e conduziria rapidamente à vitória na guerra e lançaria Churchill à condição de supremo senhor da guerra.

Os esforços dos 18 velhos navios de guerra dos aliados para forçar caminho pelo estreito de Dardanelos falharam, pois os canhões alemães Krupp dispostos nos velhos fortes turcos e minas aquáticas recém-colocadas, afundaram três navios de guerra aliados e danificaram seriamente outros três, foi uma derrota humilhante e sangrenta nas mãos dos turcos “atrasados” e dos seus conselheiros alemães.

No entanto Churchill, depois dessa vergonhosa derrota usou o seu famoso lema: “nunca, nunca, nunca desistir” e assumiu o comando do 6º Batalhão dos Fuzileiros Reais Escoceses na Frente Ocidental, onde pode observar e aprender na prática sobre as estratégias e táticas da guerra, conhecimento muito útil para as futuras batalhas em que enviaria seus comandados.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *