Moedas e Curiosidades: “A princesa do Grão-Pará” – Por @SMITHJUDOTEAM

Por José Ricardo Smith

Adquiri recentemente para minha coleção, três moedas de cobre da rainha Maria II, que governou Portugal e Algaves em dois períodos diferentes, primeiro de 1826 até ser deposta por seu tio Miguel, e depois de 1834 até sua morte em 1853, o que pouca gente sabe que Maria II é brasileira, e em 2019 comemora-se os 200 anos do seu nascimento.

Maria da Glória Joana Carlota Leopoldina da Cruz Francisca Xavier de Paula Isidora Micaela Rafaela Gonzaga (ufa, que nome grande!), nasceu no Rio de Janeiro a 4 de abril de 1819, filha de D. Pedro IV de Portugal e da arquiduquesa D. Leopoldina da Áustria. Tinha sete anos quando o pai abdicou do trono de Portugal em seu favor, tornando-se D. Pedro I imperador do Brasil.

No Rio de Janeiro, Maria da Glória vai ter uma infância despreocupada e feliz, educada e muito amada pelos pais e pelas camareiras do palácio. Aos sete anos, essa alegria é interrompida abruptamente com a morte da mãe. O pai será seu grande amigo e protetor. Nem mesmo com os problemas políticos que D. Pedro IV enfrenta no Brasil e em Portugal, lhe fazem esquecer da sua filha mais velha, a quem vai escrever cartas sempre ternas, que terminavam “adeus minha adorada filha, teu saudoso pai que muito te ama D. Pedro”.

No ano de 1822, a nossa princesa contava com dois anos e meio, quando nas margens do rio Ipiranga aconteceu o grito da Independência do Brasil. No ano de 1826 em Portugal, morre D. João VI, e seu filho D. Pedro IV, residente no Brasil, vai ter que optar entre ser imperador do Brasil ou rei de Portugal. Escolheu o Brasil, e em 1826, abdica do trono de Portugal em nome da sua filha Maria da Glória.

Maria da Glória devia casar, logo que tivesse idade, com o tio D. Miguel, que foi nomeado regente de Portugal em 1826. Mas um levante absolutista liderado por D. Miguel, a 23 de junho de 1828, levou-o a autoproclamar-se rei de Portugal.

Começaram então as Guerras Liberais, que se prolongaram até 1834. Terminando o conflito em 24 de setembro de 1834, D. Maria II assumiu o governo de Portugal com quinze anos de idade. Teve um reinado conflituoso, marcado não só pela guerra civil, mas também por revoltas militares e populares.

Depois de um casamento não consumado com o seu tio D. Miguel, e de ter ficado viúva do seu segundo marido, pouco depois do matrimônio, é nos braços de D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha que encontra a felicidade e a alegria da maternidade.

D. Maria II recebeu vários títulos ao longo de sua vida, sendo chamada também de “A Educadora”, pela excelente educação que deu a seus filhos. A 15 de novembro de 1853, treze horas após o início do trabalho de parto do 11° filho, D. Maria II morreu.

* José Ricardo Smith é professor e numismático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *