Moradores da Baixada Pará finalizam cursos através do projeto do Colorindo o Futuro, do MP-AP em parceria com SESI-SENAI

Moradores da Baixada Pará e arredores finalizam, nesta quarta-feira (7), os cursos de Noção Básica de Hidráulica e Carpintaria, e Edição de Vídeo, promovidos através do Ministério Público do Amapá (MP-AP), em parceria com o SESI-SENAI, Prodap e empresa Sião Thur. As capacitações estão dentro da programação dos projetos Colorindo o Futuro – Baixada Pará e SESI-SENAI nos Bairros, que está na segunda edição. Os moradores estão aderindo à iniciativa que está movimentando a comunidade, localizada na zona central de Macapá, parte dela instalada em área de ressaca.

Ministério Público na Baixada Pará

Habitada há mais de 40 anos, a Baixada Pará é um conjunto de casas, na maioria palafitas, em constantes readequações de espaços e famílias, e não há um número oficial atualizado de residências e moradores. Conhecida como violenta, com muito lixo acumulado e com índices altos de pessoas na linha de pobreza, o local foi escolhido pelas Promotorias de Meio Ambiente e de Urbanismo para o piloto do projeto Colorindo o Futuro, que tem a proposta de aproximar o MP-AP da população, promover preservação ambiental, justiça, dignidade e cidadania, e em parceria com órgãos judiciais e executivos, instituições como o Sistema S e empresas, pretende levar educação ambiental, ações de saúde, capacitação e limpeza.

A primeira etapa do projeto aconteceu em maio, em parceria com a Prefeitura de Macapá (PMM), e levou para a Baixada Pará serviço de limpeza e conscientização ambiental, quando foram retiradas cerca de 19 toneladas de lixo da área alagada. Antes desacreditado, na segunda etapa, que ocorreu em julho, o projeto do MP-AP garantiu a adesão de mais lideranças e moradores, e a parceria com o SESI-SENAI, Prodap, Exército, PMM, empresas Sião Thur e Nutriama, além de empreendimentos parceiros do SESI e Guardas Florestais. Durante uma semana foram realizados cursos de Produção de Pizza e Arte e Fotografia, limpeza de vias e adequação de espaços.

O ápice desta etapa foi no dia 27 de julho, com a ação de saúde e estética do projeto SESI-SENAI nos Bairros. A ação realizou consultas, exames, testes, cortes de cabelo, massagens, SPA dos pés, limpeza de pele e instrução para o mercado de trabalho. O MP-AP disponibilizou atendimento jurídico, e foram feitas as entregas de certificados para os participantes dos cursos e distribuição de lanches. No total, foram contabilizadas 883 pessoas que buscaram serviços, e 2.373 atendimentos. Os cursos de Carpintaria, Hidráulica e Edição de Vídeo fazem parte da segunda etapa dos projetos Colorindo o Futuro – Baixada Pará e SESI-SENAI nos Bairros.

Oportunidades para todos

Jordan Weslei, 22 anos, autônomo, disse que aproveitou para se capacitar e melhorar a prestação de serviços, visto que já atuou como ajudante de carpinteiro. Com dois filhos e sem emprego fixo, André Almeida, 25, afirmou estar gostando muito de carpintaria, e que nunca imaginou estar em uma sala do SENAI. “Nunca tinha trabalhado com carpintaria, e este curso dá pra começar como auxiliar, mas não quero parar”.

Alisaelson Queiroz veio de Chaves (PA), 23 anos, está desempregado, mora com mais 9 pessoas na casa de um tio, e garante que esta chance de melhorar de vida ele não vai perder.

João Vitor é o caçula da turma, mas aos 16 anos já pensa em um futuro diferente de muitos vizinhos. “Moro em uma casa com dez pessoas, só dois trabalham, estudo a 7º série e já decidi que vou ter um bom futuro”.

Novos caminhos daqui pra frente

No Prodap, 18 alunas se dividem nas 16 máquinas para aprender técnicas de edição de vídeo. Aline Mendonça tem 28 anos, três filhos e está em busca de uma profissão. “A vaga era para meu irmão, mas ele não quis mais e eu vim. Estou adorando”. Assim como ela, Luziane Rodrigues, 19, terminou o ensino fundamental, está procurando sua vocação, e acha que encontrou.

Mãe de quatro filhos, Edicleuza Lima acredita que esta oportunidade veio em boa hora, principalmente para a juventude da Baixada Pará, que por falta de oportunidades não continua os estudos e, muitas vezes, perde para as mazelas sociais.

Bruno Monteiro, técnico do SESI-SENAI, explica que os alunos de carpintaria e hidráulica podem continuar o aprendizado nos cursos de qualificação, com carga horária maior. “Duram em média 2 meses e meio, temos previsão de vagas gratuitas nestes cursos, os interessados podem se inscrever nos processos seletivos”. Os aprendizes dos cursos de Fotografia e Edição de Vídeo também terão oportunidade de exercitar o conhecimento. O promotor de Justiça Marcelo Moreira assinalou positivamente para a realização da Oficina de Audiovisual ainda em agosto, e os moradores terão a oportunidade de participar da capacitação para roteiro, entrevista, produção e edição profissional.

Os alunos de Fotografia irão participar com a mostra das fotos produzidas no curso e com o registro dos bastidores das produções. Eles irão contar, em filmes de um minuto, retratos do cotidiano vivido na Baixada Pará. Esses filmes irão para a Mostra que será realizada na 3º etapa do projeto. “Temos muito pra contar sobre nossa vida na Baixada; ainda somos discriminados por causa da violência, mas hoje deu uma mudada: está mais pacífico. Eu mesma sofri muito, vi vizinhos morrerem de forma cruel, vi outros serem presos, mas na verdade, quero ajudar a contar a história de um lugar bom de viver, com pessoas trabalhadoras, humildes e pobres, mas dignas”, disse Cristina Pantoja, de 30 anos.

SERVIÇO:

Mariléia Maciel
Assessora operacional do Caop Ambiental
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *