Morre Kleber Duarte, cantor, baixista e líder da banda de Rock amapaense “The End”

Kleber Duarte – Foto: Facebook do Geison Castro

Hoje, por conta da correria do trampo, fui olhar as redes sociais somente depois das 10h. E li a triste notícia na página do Geison Castro: Kleber Duarte, cantor, baixista e líder da banda de Rock amapaense “The End” morreu. Puta merda! O cara era jovem e talentoso. Eu nem sabia que o brother tava doente. Lamento a prematura partida do ilustre e gente fina tocador de roquenrou.

Enfim, estamos tristes pela subida de um cara de imenso talento, vítima de um linfoma (uma espécie de câncer que tem origem nos gânglios linfáticos). Isso que o Bio Vilhena me contou. O Ronaldo (Macarrão) até me marcou em um post no Instagram que fala sobre Kleber e sua fantástica banda. Um pena.

Conheci a “The End” há tempos. A única banda que toca as canções do R.E.M., sempre com a força do Rock e sutileza dos americanos liderados por Michael Stipe. Quem me apresentou o grupo de Rock que tocava numa casa em frente ao Fórum de Macapá, lá na Avenida Fab, foi Guga e o Alan Beatão. Logo virei fã dos moleques.

Banda The End, em 2013, no bar Recanto do Guerreiro – Foto: Blog De Rocha

Depois acompanhei os shows deles no velho Mosaico. A The End até tocou em festas que promovi naquele saudoso bar, onde também tocavam Primos do Brau, Little Big e Drop’s Heroína. Quem foi ali, nunca esquecerá aquelas noites.

Kleber era introvertido no primeiro momento e sempre sério, mas apaixonado por música e por tocar nos piseiros da cidade. Depois que a gente conhecia o cara melhor, ele até brincava e tirava onda. Duarte sempre foi um guerreiro do Rock. Ele e demais integrantes da The End tocavam em todo lugar, sempre pra manter a cena Rock in roll em Macapá.

Uma vez, fiz uma foto de seu contrabaixo, instrumento conhecido por todos os músicos e fãs de rock de Macapá, nas cores vermelho e preto, com o nome The End estampado. Mandei a imagem pra ele e o cara deu maior valor. Eu gostava dele.

Banda The End, em 2013, no bar Recanto do Guerreiro – Foto: Blog De Rocha

Vez ou outra interagíamos pelo Facebook. Algumas eu lhe mandando links sobre o Joy Division e noutras ele me enviando algo da mesma banda.

A última vez que vi a The End tocar foi no Recanto dos Guerreiros (Bar do Márcio), na Praça do Santa Inês, perto da pista de skate na orla de Macapá.

A cultura rocker do Amapá fica um pouco mais pobre e a gente órfão da The End. Agradecemos as noites quentes em que ele e sua banda embalaram nossas aventuras nos piseiros. Que o Kleber siga em paz. Valeu, mano. Até a próxima vez!

Elton Tavares


Atmosphere – Joy Division

Caminhar em silêncio
Não se afaste em silêncio.
Veja o perigo,
sempre perigo,
Conversas infinitas,
Reconstruindo a vida,
Não se afaste.

Caminhar em silêncio,
Não se afaste em silêncio.
Sua confusão,
minha ilusão,
Vestido como uma máscara de ódio próprio,
confrontos e depois mortes.
Não se afaste.

Pessoas como você o acham fácil,
Despidos para ver,
andando sob o ar.
Perseguindo pelos rios,
Através das ruas,
Toda esquina abandonada cedo demais
Colocadas com o devido cuidado.
Não se afaste em silêncio.
Não se afaste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *