Mostra Fôlego! reúne mais de 10 produções amapaenses na 16ª edição do FIM

Acontece nesta sexta-feira (31), a Mostra Fôlego! do Festival Imagem-Movimento (FIM), que em sua 16ª edição reúne mais de 10 produções, entre curtas e clipes realizados no Amapá.

Entre as produções que concorrem ao Prêmio Gengibirra nesta edição, temos o clipe “Flow Marabaixo”, do rapper amapaense Pretogonista, dirigido por Carlos Alberto. O clipe conta com a participação do músico Paulinho Bastos. A música mescla o rap e o batuque das caixas de Marabaixo e o clipe traz trechos dos shows de Pretogonista com cenas do cotidiano na cidade de Macapá e rodas de batuque. Concorrem também produções como “Game Over”, de Beatriz Galdino e “Meu diário” de Paulo Andrey.

Mostra Fôlego!

Mostra que carrega o apelo de uma das mais fortes expressões amapaenses. A expressão “Fôlego!” é usada para denotar espanto, surpresa, admiração. Surgiu após os realizadores do FIM identificarem o baixo número de inscrições genuinamente amapaenses, o que gerou a necessidade de criar uma mostra exclusiva, como forma de incentivo à cena local, bem como oportunizar ao público em geral o acesso às produções que refletem nossa identidade sociocultural.

Prêmio Gengibirra de Audiovisual

Para incrementar este incentivo, foi criado também o Prêmio Gengibirra de Audiovisual, que premia a melhor produção do ano, eleita através do voto popular. Após a Mostra Fôlego!, o público espectador das produções exibidas, participa da votação. O voto do público é somado aos votos do Júri técnico formado por cineastas convidados, os quais não fazem parte da equipe do festival.

O nome do filme premiado é divulgado na Festa Gambiarra, que encerra o festival, no sábado, 1º de fevereiro.

A Mostra Fôlego será realizada no Centro de Difusão Cultural João Batista de Azevedo Picanço, às 18h30, com entrada franca. Classificação indicativa acima de 14 anos de idade.

As informações completas estão no blog do festival http://festivalfim.blogspot.com/, no instagram @festivalfim e no facebook @festivalfim.

PROGRAMAÇÃO MOSTRA FÔLEGO!

Classificação indicativa: +14

Casa de axé, tempo da memória e o Sacerdote Salvino de Jesus

Silvia Marques e Maria Cordeiro

2019

23:58

Macapá/Amapá/Brasil

Livre

As reflexões dispostas no documentário colocam em perspectiva as particularidades do culto afro-religioso e suas formas diversas de expressão em diálogo com as transformações sociais que a urbanização na Amazônia vem impondo ao habitante da cidade, considerando que o espaço urbano é um local de convívio, que permite relações sociais entre duas vidas tipicamente contrastantes. Cria-se aqui um importante diálogo estabelecido entre o terreiro de candomblé e a cidade. Esse fio de reflexão foi o que nos motivou para pensarmos a dinâmica histórica, imaginativa e comunicacional da cidade com o terreiro do Unzó Lunda Nkissimbi Junsara.

Flow Marabaixo

Carlos Alberto

2019

3min 59seg

Macapá-Amapá-Brasil

Livre

Videoclipe da música Flow Marabaixo do rapper amapaense Pretogonista com participação do músico Paulinho Bastos.

Game Over

Beatriz Galdino

2018

9:25

Macapá – Amapá – Brasil

12 anos

Jubyscleisson, junto com seus amigos, parte em uma aventura num mundo completamente diferente. Será que eles se tornarão Mestres desse mundo ou será Game Over?

Madalena

Fabio Ramos

2018

3:17

Macapá-Amapá-Brasil

Livre

O clipe “Madalena” produzido e dirigido pela Caribé Filmes, foi resultado da troca entre os trabalhos das MCs Deeh (AP) e Anna Suav (PA). O trabalho fala sobre o empoderamento de mulheres, fazendo alusão ao julgamento histórico vivido por elas, citando a representação bíblica de Madalena. O som instiga a reflexão sobre as cobranças de moralidade feitas exclusivamente às meninas e mulheres, sexualização dos corpos femininos iniciada na infância, emancipação financeira como alicerce do processo de empoderamento das mulheres negras.

Meu diário

Paulo Andrey

2018

20:12

Macapá – Amapá – Brasil

12 anos

Um diário … um segredo … uma dor! O que será que Elisabeth esconde em seu coração?

Oi, Colorida

Rodrigo Aquiles Santos

2018

2min 15seg

Macapá-Amapá-Brasil

Livre

Vídeo-promo do brechó Oi, Colorida. Final de 2018. Espaço. Luz policromática é vista por satélite. Energia intensa detectada e impossível de ser controlada por tecnologia avançada. Rebeldes! Pequenos pontos de luz movimentando-se como uma dança. Parecem humanos. Parecem artistas. Parecem meteoros. Parecem festa. Parecem querer dizer algo. E estão se comunicando com muito glamour. Reinventando regras, ressignificando conceitos. Concentrados e seguros na força da intuição. Alimentando-se de inspirações, inquietos por experiências. Motivados no SIMPLES fato de existir. Afinal de contas, seriam loucos? Por que vestem o que querem? se expressam como querem? Insistem e resistem? Por que tão LIVRES? E por que NÃO? Um grito ecoa no universo: ACREDITAR! Invasão iniciadíssima…

Os Galibi – Marworno

Dir.: Coletivo Galibi-Marworno de Audiovisual

2019

20 minutos

Oiapoque – Amapá

Livre

Sinopse: Os Galibi-Marworno é um povo que vive nas Terras Indígenas Uaçá, Juminã e Galibi, no extremo norte do Brasil, estado do Amapá. O documentário é narrado pelos próprios indígenas em língua Kheuól, legendado em português, apresentando onde vivem e como vivem. A narrativa dos participantes gira em torno da preocupação das mudanças rápidas que estão ocorrendo com a cultura e a língua, atingindo principalmente os jovens. O documentário é o resultado do trabalho desenvolvido durante as oficinas de ‘Filmagem e Edição’ realizadas em setembro de 2017 e abril de 2018, no âmbito do projeto “Valorização das Línguas Crioulas do Norte do Amapá”, na aldeia Kumarumã pertencente ao povo Galibi-Marworno.

Os Karipuna de Uaçá

Dir.: Coletivo Karipuna de Audiovisual

2019

20 minutos

Origem do filme: Oiapoque – Amapá

Livre

Sinopse: Os Karipuna é um povo que vive nas Terras Indígenas Uaçá, Juminã e Galibi, no extremo norte do Brasil, estado do Amapá. O documentário é narrado pelos próprios indígenas em língua Kheuól, legendado em português, apresentando onde vivem e como vivem. A narrativa dos participantes gira em torno da preocupação das mudanças rápidas que estão ocorrendo com a cultura e a língua, atingindo principalmente os jovens. O documentário é o resultado do trabalho desenvolvido durante as oficinas de ‘Filmagem e Edição’ realizadas em setembro de 2017 e abril de 2018, no âmbito do projeto “Valorização das Línguas Crioulas do Norte do Amapá”, na aldeia Santa Isabel pertencente ao povo Karipuna.

Quando o Coração Parte Mais Alto

Dir.: Ocorre

2019

4 minutos

Macapá – Amapá – Brasil

Livre

A fotografia em estilo vintage apresenta os personagens compartilhando afetos pelas ruas da cidade valorizando o amor afrocentrado, laços afetivos mostrando diversas formas de amar valorizando a sensibilidade de pessoas negras em seus relacionamentos. Casais se perdem em tecnologias e redes sociais enquanto outros aproveitam os momentos na vida real.

Savanas do Amapá

Angélica Martínez

2019

16 minutos

Amapá-Brasil

Livre

O interesse pela conservação de uma espécie de primata em perigo de extinção levou a uma equipe de jovens até as savanas do Amapá. Ao escutar as histórias dos moradores locais sobre o passado e o presente, surgiram dúvidas sobre como será o futuro.

Seu Joaquim

Raycilana Guedes

2018

15:50

Macapá – Amapá – Brasil

10 anos

Seu Joaquim, um aposentado viuvo que adora curti um baile da saudade com os amigos, nos mostra uma face da terceira idade que muitos fingem não enxergar.

Xandoca

Dir.: Davi Marworno e Takumã Kuikuro

2019

20 minutos

Oiapoque – Amapá

Livre

Sinopse: Dona Alexandrina, também conhecida por Xandoca, é uma anciã indígena do povo KARIPUNA. Ela conta um pouco da sua história e da aldeia Santa Isabel, terra indígena UAÇÁ, no município de Oiapoque, no Amapá

SERVIÇO

MOSTRA FÔLEGO!+Votação Prêmio Gengibirra de Audiovisual

DATA: 31/01/2020
HORA: 18h30
LOCAL: Centro de Difusão Cultural João Batista de Azevedo Picanço – Av. Fab, 86
Entrada Franca
Classificação indicativa: +14
(96)98138-5712 Mary Paes
(96)99168-2464 Lívia Almeida
(96)98118-3510 Alexandre Brito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *