Motoristas enfrentam atoleiro e pista escorregadia no trecho sul da BR-156

estrada1

Por John Pacheco

O período de chuvas fortes que atinge o Amapá aumenta o desafio de motoristas que percorrem diariamente o trecho sul da BR-156. O percurso não asfaltado liga os municípios de Macapá e Laranjal do Jari, num total de 265 quilômetros. Condutores e passageiros registraram com fotos os trechos mais críticos, onde motoristas de carros e ônibus são obrigados a diminuir a velocidade, sob risco de derrapagem.
Sobre a conservação deste trecho, a Secretaria de Estado dos Transportes (Setrap) informou que as empresas contratadas para a manutenção já estão executando os reparos necessários. O governo disse também que as chuvas retardam as atividades na BR e que em condições climáticas favoráveis o serviço pode ser feito em até cinco dias.estrada11

O radialista Dalton Pacheco conta que viaja sempre pelo trecho e que a lentidão na pista prolonga ainda mais o tempo de viagem, que é feito normalmente em quatro horas. “Muito ruim. Carros pequenos estão tendo dificuldades em toda a pista”, disse, alertando que o ponto mais crítico está nas proximidades da comunidade de Água Branca do Cajari, a 68 quilômetros de Laranjal.

No local, veículos maiores estão sendo puxados para ultrapassar os atoleiros,
sendo necessária a retirada dos passageiros que são obrigados a caminhar pela pista escorregadia.

estrada111Asfaltamento

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) informou que até a segunda quinzena de abril será lançado o edital para obras de recuperação e asfaltamento do trecho sul da BR-156, num total de 61,10 quilômetros. A obra com previsão de 24 meses vai partir do entroncamento com a BR-210, em Macapá, até a ponte sobre o rio Matapi. O início dos serviços está previsto para outubro.

Fonte: G1 Amapá

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*