MP-AP abre X Encontro Nacional de Memoriais do MP

O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP) abriu, nesta quinta-feira (31), na sede da Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, o X Encontro Nacional de Memoriais do MP. O evento, que encerrará nesta sexta-feira, 1° de novembro, visa apresentar e debater questões relacionadas à gestão cultural, com foco na defesa e na proteção do patrimônio histórico e documental da instituição, bem como trocar experiências sobre o trabalho de preservação da memória. O simpósio, realizado com o apoio da PGJ do MP-AP, conta com palestras de especialistas no assunto.

O encontro conta com a presença de representantes de Memoriais do Ministério Público nacional, integrantes do Ministério Público e representantes de Centros de Memória de todo país. Os trabalhos foram abertos pelo subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Nicolau Crispino, que representou a PGJ do MP-AP, Ivana Cei, e deu boas-vindas ao público.

“Em nome da procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei, agradeço a presença de todos. Agradecemos também aos responsáveis por este evento, o procurador de Justiça Márcio Alves, capitaneador do resgate da história do Ministério Público do Amapá, ao promotor de Justiça, Ricardo Ferreira, presidente do Memorial e à Comissão envolvida na organização do encontro, e ainda, ao nosso secretário-geral do Ministério Público, promotor Paulo Celso, que deu o apoio necessário para a realização deste simpósio. Como também faço parte da Universidade Federal do Amapá (Unifap), tenho sido testemunha do estudo da história do Amapá e de sua importância local e nacional. Que todos aproveitemos esta oportunidade”, frisou Nicolau Crispino.

O presidente do Memorial do MP-AP, promotor de Justiça Ricardo José Ferreira, fez um breve histórico do trabalho de construção do setor no órgão ministerial amapaense, e enfatizou a importância de todas as instituições criarem e aparelharem seus centros de memória.

“Espero que este evento possa dar frutos e chamar a atenção, não só do Ministério Público, mas de outros órgãos também, para que possam fazer e manter a preservação do seu acervo, isso eu acho que é muito importante”, comentou o presidente.

O subprocurador-geral de Justiça Militar e presidente da Associação do Ministério Público Militar, António Pereira Duarte, enalteceu a realização do evento e parabenizou o MP-AP pelo Encontro.

“Com o trabalho que é executado no cotidiano de nossas atribuladas missões, não podemos deixar, e isso é um compromisso que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) assumiu, de uniformizar e de fomentar, em todo o Ministério Público Brasileiro, essa semente para que perseverem, não marginalizem o tema nos planejamentos estratégicos de cada instituição. Nossa expectativa é que o nosso país possa melhorar cada vez mais ao observar a sua história e sua trajetória ao longo do tempo. Portanto, parabenizo o MP-AP pela realização do Encontro”, salientou Antônio Duarte.

Palestras

A palestra de abertura, com o tema “A Prática da História Oral no Âmbito do Ministério Público”, foi proferida pelo pós-doutor em história oral, Gunter Axt, experiente na área de memória institucional.

A programação seguiu com explanação da Comissão de Execução do “Projeto Memorial do Ministério Público do Estado do Amapá”, formada pelas professoras doutoras da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Simone Almeida, Cecília Bastos e Daguinete Brito. Elas discorreram sobre todo o trabalho executado por meio de imagem, som, publicações e acervo documental.

No mesmo dia, na parte da tarde, o assessor de Estudos e Pesquisa Jurídica do MPF/PA, Lucivaldo Vasconcelos Barros, ministrou a palestra “Gestão documental e memória institucional do MPF: a experiência da Procuradoria da República no Estado do Pará”.

Na sequência, o coordenador do Memorial do Ministério Público do Paraná (MP/PR), Alexandre Galvão da Silva, palestrou com o tema “REConto – a memória do Ministério Público do Paraná contada por quem ajudou a construir sua história”.

O evento também contou com a apresentação musical de Zé Miguel, um dos ícones da música amapaense, e exposição de arte “Cores da Amazônia”, da Galeria ArtAmazon.

Visitas guiadas

Ainda durante a programação deste primeiro dia de encontro, os participantes fizeram uma visita guiada. Eles tiveram a oportunidade de conhecer a Fortaleza de São José de Macapá e a Casa do Artesão da capital amapaense.

Autoridades presentes

Estiveram presentes no evento o governador do Amapá em exercício, Jayme Nunes; procuradores e promotores de Justiça do MP-AP; o desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), Eduardo Contreras; o Comandante da Polícia Militar do Amapá (PM/AP), Coronel Paulo Matias; membros do MP de várias unidades do Brasil; servidores do órgão ministerial amapaense; historiadores e acadêmicos de História.

SERVIÇO:

Elton Tavares
*Contribuíram os fotógrafos Sal Lima e Márcia do Carmo.
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *