MP-AP acompanha eleição no Ministério Público do Distrito Federal e avalia adoção de tecnologia usada no processo

O subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Nicolau Crispino, visitou nesta terça-feira (23), o Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), em Brasília (DF). O membro do MP-AP esteve no MPDFT acompanhado do servidor do Departamento de Tecnologia da Informação do órgão ministerial amapaense, Alan Brito. O objetivo da visita foi acompanhar a votação para eleição da lista tríplice ao cargo de procurador-geral de Justiça do MPDFT, ocorrida no mesmo dia e ver a funcionalidade do Sistema Votus, ferramenta utilizada no pleito.

Durante o encontro, o PGJ do Distrito Federal, Leonardo Bessa recebeu o membro do MP-AP e os procuradores de Justiça do estado do Pará, Manoel Santino Nascimento e Ubiragilda Silva Pimentel. O propósito é a adoção do Sistema Votus no órgão ministerial amapaense e paraense.

O Sistema Votus é um software que permite ao eleitor votar por meio eletrônico através da intranet a partir de dispositivos móveis, como smartphones, tablets e notebooks. A ferramenta foi usada para a escolha da lista tríplice ao cargo de procurador-geral de Justiça do MPDFT, ocorrida também nesta terça-feira.

Desenvolvido pelo MPPDFT, a ferramenta é eficiente e aprovada em várias eleições naquela instituição, com ampla repercussão positiva. O sistema resguarda o sigilo do voto, tem mecanismos de criptografia, segurança contra ataques de hackers ou tentativas de invadir o sistema durante a votação e assegura a possibilidade de auditoria para garantir a plena lisura do processo eleitoral eletrônico institucional.

Na oportunidade, técnicos da área de informática do MPDFT e o servidor Alan Brito também participaram da reunião. Os desenvolvedores do sistema fizeram uma demonstração de uso do programa e deram informações técnicas sobre sua estrutura e funcionamento.

Nicolau Crispino ressaltou que com a tecnologia, o processo ganhará ainda mais segurança e agilidade, que atualmente utiliza o meio impresso.

O Sistema Votus é excelente por várias razões. Primeiro por que é uma criação do próprio MPDFT já há muito tempo. Esta é a terceira votação de lista tríplice para PGJ por meio da ferramenta e demonstrou ser muito segura tanto com relação ao sigilo da votação, quanto à sua estabilidade. Além disso, é utilizado para as demais eleições do DF, exceto o de corregedor. E mais para eleição das associações de classe do MPDFT, membros e servidores. Portanto, vejo que o sistema pode sim ser executado no MP-AP”, pontuou Nicolau Crispino.

A proposta de adoção do Sistema Votus no órgão ministerial amapaense, já para a escolha do PGJ da instituição no Biênio 2019-2021, será submetida ao Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) do MP-AP.

Eleição no MPDFT

Na ocasião, os promotores de Justiça Elísio Teixeira Lima Neto (204 votos), Eduardo Gazzinelli Veloso (199) e Fabiana Costa Barreto (122), por ordem de votação, foram os escolhidos pelos integrantes da carreira para compor a lista tríplice ao cargo de procurador-geral de Justiça do MPDFT. Os membros da instituição puderam votar em até três candidatos a partir de qualquer computador conectado à internet. A lista será encaminhada ao presidente da República, Michel Temer.

SERVIÇO:

Elton Tavares, com informações do MPDFT
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *