MP-AP aderiu à campanha do Dia Mundial da Limpeza que retirou do rio Amazonas 50 toneladas de resíduos

Há dez anos, na Estônia, foi iniciado um grande movimento de conscientização sobre preservação do meio ambiente em todo o planeta, e o dia 15 de setembro ficou conhecido como o Dia Mundial da Limpeza, que em Macapá levou centenas de voluntários para a orla em adesão ao #Let’s do It, ou #VamosFazerIsso. O Ministério Público do Amapá (MP-AP), através da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, Conflitos Agrários, Habitação e Urbanismo (Prodemac) e Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CAOP/AMB) participou junto com a Prefeitura de Macapá (PMM) na ação que retirou 50 toneladas de resíduos sólidos.

A Secretaria de Manutenção Urbanística (Semur) esteve à frente do movimento em Macapá, cujo embaixador é o prefeito Clécio Luis, e mobilizou entidades públicas e privadas, cidadãos e servidores públicos para a ação. Usando luvas e sacolas, os voluntários fizeram a retirada do lixo que é jogado no rio Amazonas, de plástico à objetos de todos os portes. Do MP-AP participaram membro, servidores, prestadores de serviços e estagiários, que se uniram para fazer o recolhimento e contribuir com a conscientização de moradores que continuam a jogar resíduos em local inadequado.

“É um trabalho constante da Prodemac e Caop Ambiental o de conscientização ambiental, para que no futuro este cenário de lixo no rio e ruas não seja mais rotineiro. As multas e Ações Civis Públicas (ACP) são convertidas em fomento para atividades de educação ambiental, fazemos campanhas, apoiamos movimentos como este, promovemos palestras e outras atividades educacionais, para que sejam formados verdadeiros cidadãos responsáveis com o planeta que habitamos”, disse a promotora titular de meio ambiente e coordenadora do CAOP/AMB, Ivana Cei.

Para o promotor substituto do Meio Ambiente, Jorge Willian Fredi, a atitude da PMM de aderir à campanha mundial encabeçada pelo Instituto Limpa Brasil motiva a adesão de parceiros e voluntários. “Ações como esta têm relevância na medida em que chama a sociedade para contribuir na preservação do meio ambiente, que é um dever de todos e inclui uma cidade limpa. A educação ambiental é imprescindível para a conscientização da coletividade sobre a importância de se adotar práticas ambientalmente adequadas, sobretudo no descarte do lixo urbano, que é um dos temas prioritários na agenda internacional do Direito Ambiental”.

O secretário da Semur, Augusto Almeida, explicou que as 50 toneladas de lixo recolhidos do leito do rio Amazonas serão despejados no aterro, e os troncos e galhos de árvores, encaminhados para artesãos parceiros que possam transformá-los em móveis, como bancos e objetos de decoração.

SERVIÇO:

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *