MP-AP debate ética no exercício militar durante curso para sargentos da PM-AP

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), atendendo ao convite da Polícia Militar do Amapá (PM-AP), ministrou na manhã da última quarta-feira, 02, da aula inaugural ao Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) realizada no Quartel do Comando Geral da PM.

Durante a abertura do evento, o comandante geral da PM, Coronel Rodolfo Pereira de Oliveira Júnior, falou sobre a importância do curso para formação de sargentos e o retorno à comunidade. “Devemos transformar tudo o que for ensinado em melhores serviços oferecidos à sociedade amapaense”.

Como parte da programação, a aula magna do curso foi conduzida pelo promotor de Justiça substituto Benjamin Lax, que destacou premissas importantes sobre o tema ‘Ética no Exercício da Função Militar’. “Para falar de ética, devemos analisa-la dentro dos paradigmas que vivemos hoje. E, hoje, vivemos o paradigma da alteridade, quando nos preocupamos com o outro, com aquele que está ao nosso lado”, frisou o promotor de Justiça.

Para melhor exemplificar a temática, o promotor de Justiça fez referência ao Regulamento Disciplinar da Polícia Militar (RDPM), e entre os Artigos, citou como um dos mais importantes o 13°. “Transgressão disciplinar é qualquer violação dos princípios da ética, dos deveres e das obrigações policiais-militares na sua manifestação elementar e simplesmente e qualquer omissão ou ação contrária aos preceitos estatuídos em leis, regulamento normas ou disposições, desde que não constituam crime”.

O representante do MP-AP ressaltou que “deve-se zelar pelo coletivo. Ou seja, não se pode prejudicar a coletividade, desta forma deve haver respeito pelas normas gerais de conduta. A arte do zelo coletivo para manter a boa convivência é vantajosa para todos”, finalizou.

SERVIÇO:

Ascom/MP-AP
Contato: (96) 3198-1616
Email:asscom@mpap.mp.br

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*