MP-AP e instituições parceiras promovem último módulo do Curso de Constelação Familiar Sistêmica

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) sediou nesta sexta-feira e sábado, dias 23 e 24 de novembro, o último módulo do curso de Formação em Constelações Familiares Sistêmicas, ministrado pela professora Marilise Einsfeldt. A capacitação é fruto de uma cooperação entre o MP-AP, Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) e Governo do Estado do Amapá (GEA), por meio da Secretaria de Educação (SEED) e Escola de Administração Pública (EAP). O curso tem como objetivo proporcionar o aprimoramento pessoal e profissional de todas as entidades citadas.

O curso foi realizado ao longo de 2018, em seis etapas, cada uma com dois dias de aula. Este foi o 6º módulo do curso que teve como tema: “Resolução de Conflitos: Inocência, culpa e dignidade. Como fazer atendimentos individuais”.

A capacitação foi realizada no terraço da Procuradoria Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco. O objetivo do treinamento foi formar membros e servidores das instituições envolvidas, como facilitadores e/ou consteladores, utilizando as técnicas de Constelações Familiares Sistêmicas, muito eficazes na resolução de conflitos em relacionamentos pessoais e profissionais.

A professora Marilise Einsfeldt, por meio de dinâmicas de grupos, utilizou algumas técnicas criadas pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, para que todos possam experimentar as sensações e o comportamento dos indivíduos diante da reconstrução de sua história familiar.

Esse curso proporcionou, de forma instrumental, técnicas para que profissionais de diversas áreas de serviços possam utilizar. O intuito da qualificação é facilitar diálogos na hora de ouvir o próximo em um conflito, por exemplo. A constelação sistêmica é um complemento dos círculos de diálogos que o MP-AP desenvolve. Contudo, um diferencial é que a constelação auxilia naquele suporte de sentimentos, que muitas vezes não sabemos como verbalizar. Ambas ações podem trabalhar juntas”, frisou Marilise.

Na ocasião, Einsfeldt agradeceu o total apoio dado ao curso pelo procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves, representado pela promotora de Justiça Sílvia Canela, que coordena o Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas (NMCPR) do Ministério Público.

Sílvia Canela ressaltou que as leis sistêmicas não estão voltadas apenas para o seio familiar.

As constelações são uma filosofia de vida, na qual, a pessoa passa a solucionar seus próprios conflitos e os conflitos dos demais. O método ainda não tinha sido disseminado no Estado do Amapá, as pessoas não conheciam essa visão sistêmica, a qual traz uma forma nova de olhar o ser humano”, salientou a coordenadora do Núcleo de Mediação do MP-AP.

Estiveram presentes no encerramento a juíza Stella Ramos, que representou a coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais e Resolução de Conflitos (NUPEMEC) do Tjap, desembargadora Sueli Pini; a diretora da EAP, Cristiane Vilhena; o procurador-geral da Assembleia Legislativa do Amapá, Eugênio Fonseca, que representou o presidente do legislativo estadual, deputado Kaka Barbosa; o comandante da Polícia Militar do Amapá, coronel Rodolfo Pereira e o subcomandante do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá, coronel Janary Picanço.

Participaram do curso, membros e 20 servidores do MP-AP, juízes do Amapá e 12 servidores do Judiciário, completando o número de 20 vagas para o TJAP, e 60 funcionários do Governo do Amapá. Todos receberam certificados da capacitação.

SERVIÇO:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *