MP-AP e SRPRF/AP firmam parceria para repressão à macrocriminalidade e ao crime organizado no Amapá

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Márcio Augusto Alves e o titular da Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal no Estado do Amapá (SRPRF/AP), Klebson Sampaio do Nascimento, assinaram nesta quinta-feira (15), na sede do órgão ministerial, um Termo de Cooperação interinstitucional, para ações integradas no combate à macrocriminalidade e ao crime organizado no Amapá.

A ações do MP-AP serão por meio do seu Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), coordenado pelo promotor de Justiça Afonso Guimarães, presente na reunião. Também participou do encontro o chefe do policiamento da PRF, Jaime Herculano.

Conforme o Superintendente da SRPRF/AP, órgão pertencente ao Ministério da Justiça, a SRPRF/AP está à disposição do MP-AP para a troca de informações e execução de ações em conjunto. Klebson do Nascimento destacou que possui experiência em trabalho integrado com outras instituições no município de Oiapoque e usará este conhecimento para atuar junto ao Gaeco.

“Usaremos nossos conhecimentos para auxiliar o MP-AP no que for necessário. Eu como superintendente e Jaime Herculano na área operacional nos empenharemos em dar apoio ao Gaeco”, salientou Klebson do Nascimento.

Segundo o promotor de Justiça Afonso Guimarães, a ideia é unir forças para melhorar ainda mais a investigação de crimes diversos, dado o conjunto de soluções possíveis, com a parceria entre o Gaeco e PRF.

“Queremos agir de uma maneira uniforme, pois desta forma, promotores de Justiça de Macapá e os que atuam no interior terão o mesmo nível de informação. Essa integração, prestação de apoio técnico e coleta de provas para instrução de procedimentos criminais tornará o nosso trabalho no Gaeco ainda mais eficaz”, pontuou Afonso Guimarães.

Ações integradas

Com o Acordo de Cooperação, as duas instituições planejarão, acompanharão e executarão ações de prevenção e repressão aos crimes de roubo e furto de veículos e cargas, tráfico ilícito de substâncias entorpecentes, tráfico de armas, munições e produtos controlados, adulteração de combustíveis, lavagem de dinheiro, crimes ambientais, tráfico interno de pessoas para fins de prostituição, crimes exploração sexual de adultos, crianças ou adolescentes e demais delitos praticados nas rodovias e estradas federais.

As ações conjuntas serão em caráter temporário e serão constituídas por representantes de cada uma das partes, para cumprimento das missões. A decisão de constituição de força-tarefa, que poderá ser precedida de troca de correspondência e relatórios, será tomada em reunião conjunta realizada entre as partes.

“Este intercâmbio de informações e o trabalho em conjunto com a SRPRF/AP reforçará o combate ao crime organizado no Amapá. A parceria é essencial para trabalharmos na manutenção da ordem. Intensificar o enfrentamento à criminalidade é um dos nossos objetivos”, comentou o PGJ-AP, Márcio Alves.

Serviço:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *