MP-AP lança campanha educativa contra a reprodução de imagens violentas

Resultado de acordo firmado com representantes de portais de notícia, jornais impressos e emissoras de rádio e televisão, o Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Defesa dos Direitos Constitucionais, lança nesta segunda-feira (7) uma campanha educativa contra a reprodução de imagens violentas.

Com a hashtag #NaoCompartilhe, as peças publicitárias para as redes sociais, alertam sobre os danos causados aos que acessam conteúdo de violência exposta de forma explícita. Dentre as consequências desse consumo, destacam-se: sofrimento e danos psicológicos; possibilidade de incitamento a imitadores que desejem reproduzir aquele determinado crime e a possibilidade de trauma indireto em quem replica aquele conteúdo.

A campanha faz o alerta e ao mesmo tempo provoca uma reflexão em quem se depara com esse tipo de mensagem. Antes de repassar foto e vídeos, questione-se: “há algo no conteúdo que pode ofender alguém; “há algo nesse vídeo que faz piadas às custas de um grupo de pessoas”? “Você ficaria satisfeito por saber que alguém se sentiu mal ou triste por consumir algo que você compartilhou?”.

No diálogo com os representantes dos veículos de comunicação, o promotor de Justiça substituto Eduardo Kelson, atualmente à frente da Promotoria dos Direitos Constitucionais, esclareceu que foi aberto procedimento no MP para apurar supostos abusos cometidos por profissionais e empresas de comunicação, sem que isso representasse, em qualquer hipótese, ofensa à liberdade de imprensa.

Independente da apuração em curso, os profissionais da área, além de reafirmarem o compromisso de seus veículos no cumprimento da legislação, pactuaram com o MP-AP a disponibilidade em colaborar com a campanha educativa visando orientar e sensibilizar a população sobre as implicações legais para quem produz ou compartilha imagens violentas.

A campanha está no ar. Faça você também a sua parte e promova a hashtag #NaoCompartilhe: imagens de acidentados; pessoas baleadas e animais mutilados. Lembre-se: assumir a responsabilidade pelo conteúdo em nossas redes sociais e demais ambientes virtuais é essencial.

SERVIÇO:

Ana Girlene
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *