MP-AP, lojistas e poder público definem estratégia para reduzir incidência de usuários de drogas no centro comercial de Macapá

Uma estratégia de atuação conjunta para reduzir a incidência de usuários de drogas em Macapá foi definida, nesta terça-feira (12), no Complexo Cidadão da Zona Sul do Ministério Público do Amapá (MP-AP) em reunião coordenada pela Promotoria de Justiça de Investigações Cíveis e Criminais (PICC) com a participação da Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE) e de representantes dos lojistas e do poder público Estadual e municipal da Saúde e Segurança Pública. Este é o segundo encontro do grupo que está mobilizado para buscar uma alternativa para o problema que se agrava e preocupa a população, principalmente no centro comercial da capital.

O coordenador da PICC, promotor de Justiça Éder Abreu, fez um breve resumo do que fora discutido na primeira reunião realizada em agosto passado e explicou os objetivos do convite para agregar forças no combate à comercialização e uso de drogas.

Foram expostas algumas situações e sugeridas propostas de atuação pelo presidente da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), Altair Pereira, e do juiz Luciano Assis, coordenador do Juizado da Infância. O debate foi aberto e contou com a participação dos representantes das Polícias Civil e Militar, Secretarias de Saúde do Estado e município de Macapá, Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), Federação do Comércio do Amapá (Fecomércio-AP), Câmara de Dirigentes Lojistas de Macapá (CDL) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AP).

“Nosso objetivo é promover mais segurança no centro comercial, mas tendo definido como será feito o acolhimento dos usuários de drogas e moradores de rua que ali se concentram, ao mesmo tempo em que devemos deflagrar uma ação de combate à comercialização de drogas como forma de minimizar o problema”, ressaltou Éder Abreu.

Como encaminhamento, foram formadas comissões entre as instituições participantes e em uma nova oportunidade, a ser agenda, serão expostas as propostas de trabalho, tanto na segurança e saúde públicas, quanto no aspecto educativo e preventivo.

SERVIÇO:

Gilvana Santos
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
Email: asscom@mpap.mp.br

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*