MP vai à escola: projeto de prevenção à corrupção reúne alunos da Escola Municipal Odete Almeida Lopes, no Complexo Cidadão Zona Norte

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) deu continuidade, na tarde da última sexta-feira (11), no auditório Complexo Cidadão Zona Norte, ao projeto estratégico “Prevenção à Corrupção: o MP vai à escola”. Neste terceiro encontro, a programação foi lançada para alunos da Escola Municipal Odete Almeida Lopes. Dezenas de crianças e adolescentes, além de professores, participaram do evento.

O procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves e o promotor de Justiça Afonso Guimarães, que atua na Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, da Probidade e das Fundações de Macapá (Prodemap) e é o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) conversaram com as crianças e jovens com o objetivo de contribuir para a prevenção primária à corrupção, promovendo a educação para a ética e cidadania.

Segundo o PGJ, a reflexão sobre valores éticos e morais é fundamental para a formação dos estudantes. “A Escola tem um processo primordial para este projeto. Pois a instituição de ensino é, junto com a família, o meio que formam o cidadão desde sua infância. Queremos conversar com a juventude para orientar o melhor caminho. Quando já se é velho, o homem ou a mulher já perderam a vergonha. E quando ainda são crianças e adolescentes, o indivíduo ainda não está viciado em fazer o errado, por isso a importância em promover a reflexão e fortalecer os valores morais para que eles procedam de forma correto desde o início de suas vidas”, destacou Márcio Alves.

O promotor de Justiça Afonso Guimarães discorreu sobre os malefícios da corrupção para a sociedade. “O Brasil está doente. Mas o país somos nós, portanto, que tem e doença são os brasileiros e o nome dessa enfermidade é a corrupção. Se a pessoa não pode fazer uma ação publicamente, pode acreditar que é algo errado neste ato. Ou seja, começa da cola na prova e por aí vai. Precisamos combater essas práticas, pois assim é que se segue o caminho correto desde cedo”, salientou o promotor Afonso Guimarães.

A chefe da Divisão do Departamento de Ensino da Secretaria Municipal de Educação (Semed) ressaltou que a iniciativa do MP-AP dá esperança à sociedade, pela nobreza do projeto e seu objetivo.

A diretora da escola, Kátia Marinho, garantiu total apoio e enalteceu a iniciativa do MP-AP. “Essa ação do MP-AP é essencial para que, no futuro, nossas crianças serão nossos multiplicadores para banir a corrupção da nossa sociedade e das nossas vias”, comentou a diretora.

Oficinas e Círculos de Diálogos

Ao final das visitas nos educandários, será realizada uma oficina de formação teórico-metodológica em gestores, técnicos e professores, com o objetivo é instrumentalizar esses profissionais sobre os conceitos e temas relativos à prevenção da corrupção (cultura, sociabilidade, valores, ética e cidadania), visando a introdução dessas temáticas nos componentes curriculares ministrados por eles.

Além de rodas de conversas com os alunos, utilizando os “Círculos de Diálogos”, uma metodologia de Justiça Restaurativa; oficinas de produção audiovisual e, por fim, uma mostra do material produzido, com premiação das escolas vencedoras.

SERVIÇO:

Elton Tavares e Sávio Leite.
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *