MPF pede correção de problemas no principal hospital do Amapá

Por Abinoan Santiago, do G1 Amapá

Baseado em relatórios do Sistema Único de Saúde (SUS) e da Vigilância Sanitária, o Ministério Público Federal do Amapá (MPF) recomenda a imediata correção de mais de 40 problemas graves encontrados no setor de nefrologia do Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal), em Macapá. Entre os problemas, estão a falta de equipamentos e medicamentos, descaso com a higiene e lotação.

As recomendações foram encaminhadas para a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), responsável pela gestão do principal hospital de especialidades do Amapá. O órgão tem um prazo de 120 dias para adquirir e colocar em funcionamento 10 novas máquinas para diálise, necessárias para o tratamento de pacientes renais.

Hemodiálise

Segundo nota do MPF, a nefrologia do Hcal conta com 39 máquinas, o que limita o atendimento para 200 pessoas. As 10 novas máquinas atenderiam o número recomendado pelo Ministério da Saúde, de um equipamento para cada 15 mil habitantes. Devido a carência de máquinas de diálise, o Hcal reduziu o tempo de hemodiálise dos pacientes para 3 horas, enquanto o necessário são 4 horas. 

A recomendação também foi estendida ao município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá, onde ainda não foi inaugurada a Clínica de Nefrologia do Município, prevista para 2011, segundo o MPF.

Limpeza

De acordo com o relatório do Ministério Público, “o risco de contágio por doenças como HIV e hepatite são constantes”, explicando que pacientes com sorologia negativa dividem as mesmas máquinas com pacientes ainda não diagnosticados.

A Sesa ainda é recomendada a realizar a compra de produtos de limpeza e estabelecer rotinas para garantir nenhum risco de infecção. O estado em que se encontra o setor é propenso a infestação de insetos.

Em resposta à recomendação, a Sesa informou que se reuniu com o MPF para receber as orientações e que prestará esclarecimentos sobre as ações a serem feitas na sexta-feira (20). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *