Museu Kuahí lança Exposição “A Arte e o Saber dos Mestres”


Redes de dormir, cestaria, esculturas em madeira, cerâmica, joalheria indígena, instrumentos musicais, cuias, acervo de ladainhas em latim, cantos do Turé. Essas são algumas das produções que fazem parte da exposição “A Arte e o Saber dos Mestres“, aberta na última segunda-feira, 16, no Museu Kuahí, no município de Oiapoque, a 650 quilômetros de Macapá, como parte da Programação do Abril indígena, comemorado entre os dias 16 e 20 de abril em todo o Estado.

Essas produções fazem parte do repertório sócio-cultural dos povos indígenas Karipuna, Galibi Marworno, Palikur e Galibi Kali’na, habitantes daquela região. O acervo é resultado de uma série de oficinas inseridas no projeto Resgate Cultural dos Povos Indígenas de Oiapoque, realizadas em 2004 e 2007, realizadas com o envolvimento de mestres-artesãos, coordenadores, administradores e responsáveis pelo registro das tecnologias.

A exposição traz ao público um pouco da história dos Povos Indígenas de Oiapoque em busca da continuidade da transmissão de seus saberes e fazeres e vem também inaugurar as atividades de 2012 do “Programa de Formação de Pesquisadores Indígenas de Oiapoque”, realizado pelo Kuahí, com apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Amapá (Secult) e do Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (Iepé).

Entre os Povos Indígenas de Oiapoque, mestres são os indivíduos que dominam os conhecimentos e técnicas relacionados às mais diversas expressões culturais. Há alguns anos, era comum ouvir entre os mais antigos que estes conhecimentos culturais corriam o risco de desaparecer, por serem dominados por poucos mestres, a maioria com idade avançada.

Através de um projeto desenvolvido pela Associação dos Povos Indígenas de Oiapoque – APIO, com o apoio do Projeto Demonstrativo dos Povos Indígenas – PDPI / MMA, buscou-se estimular a transmissão desses conhecimentos, evidenciando a importância de expressões culturais que, por razões diversas, vinham sendo pouco praticadas.

Das oficinas então foram obtidos o resgate e o interesse de novos aprendizes que dessem continuidade aos saberes, se resgatou a valorização do patrimônio cultural indígena e o registro e documentação de suas tecnologias. O resultado deste extenso trabalho pode ser conferido na Exposição do Museu Kuahí, vinculado à Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Serviço:

O Museu Kuahí funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados e domingos das 8h às 12h, em Oiapoque.

Rita Torrinha/Secult

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *