Música de agora: Se Não Fosse O Samba (Marcelo D2 em homenagem a Bezerra da Silva)

Se Não Fosse O Samba – Bezerra da Silva (versão de Marcelo D2)
 
E se não fosse o samba quem sabe hoje em dia eu seria
Do bicho…
Se não fosse o samba
Quem sabe hoje em dia eu seria do bicho
Não deixou a elite me fazer marginal e também em
Seguida me jogar no lixo
 
A minha malandragem era um lápis e papel no bolso da
Jaqueta e uma toca de meia na minha cabeça, e uma
Fita cassete gravada na mão, e toda vez que eu descia o
Meu morro do galo eu tomava uma dura us homens voavam
Na minha cintura pensado em encontrar aquele 38tão,
 
Mas como não achavam ficavam mordidos e não me
Dispensavam abriam caçapa e lá me jogavam mas uma vez
Na tranca dura pra averiguação, batiam o meu boletim,
E o nada consta dizia: ele e um bom cidadão ô cana dura
 
Ficava muito injuriado porque era obrigado a me tirar da
Prisão, mas hoje em dia eles passam me veem me abraçam
Me chamam de amigo, os que são compositores gravam comigo
E até me oferece toda proteção, humildemente agradeço e
 
Digo pra eles que estou muito seguro porque sou um bom
Malandro e não deixo furo e sou considerado em qualquer
Jurisdição ihhhhhhh se não fosse o samba
Quem sabe hoje em dia eu seria do bicho…
  • Merecida homenagem ao “Grande” Bezerra da Silva, que deixou uma lacuna imensa pro samba brasileiro.
    A facilidade de Bezerra da Silva de transformar as questões sociais do cotidiano da periferia em algo compreensível para os mais aquinhoados era impressionante. Vivemos carentes de outros BEZERRAS no samba. Hoje, o mais fácil é rimar flor com dor, amor com desamor e por aí a fora. Saudades de BEZERRA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *