Músico amapaense toca como solista na Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Em um feito histórico e inédito, pela primeira vez um músico amapaense pisa em palco tão importante e melhor, como solista. O Jovem flautista Wesley Sampaio, 18 anos, chegou ao topo da carreira, após encantar o maestro João Carlos Martins, regente titular da Orquestra e Fundação Bachiana. Ele agraciou Wesley com uma bolsa de estudos, mas os custos para manter o amapaense fora do estado são altos e, para continuar a representar o Amapá no resto do Brasil e no mundo, sua família precisa de apoio.

Aos quatro anos de idade Wesley já demonstrava vocação musical, aprendeu as primeiras notas com o pai, também músico e atualmente regente da Orquestra do IMMES. Aos nove anos começou a se dedicar ao flautim. A ideia na verdade era tocar uma flauta transversal, mas suas mãos ainda eram muito pequenas para manusear com perfeição esse instrumento.

Participou de vários grupos musicais no Amapá, como Orquestra Primavera, orquestra Jovem da Escola de Música Walkiria Lima e, ultimamente, leciona no Projeto Meninos do IMMES. Sua trajetória é repleta de muito estudo, dedicação e perseverança, mas pode-se dizer que, para estar onde está hoje, além do talento excepcional, ele contou com um fator preponderante: a sorte. Estava no lugar certo, na hora certa.

Em novembro de 2010 o maestro João Carlos Martins esteve no Amapá a convite da Associação dos Supermercados do Amapá (AMAPS), para ministrar uma palestra sobre superação profissional, tendo em vista a sua própria história de vida, pois em decorrência de uma doença, a Lesão por esforço repetitivo (LER), teve de largar a carreira de pianista e transformar-se em maestro.

No dia 12 do mesmo mês, Wesley Sampaio foi convidado para se apresentar no café da manhã em homenagem ao maestro. Após sua apresentação o jovem foi ovacionado pelo maestro, que imediatamente o convidou a estudar em São Paulo, oferecendo a ele bolsa de estudos com o proeminente Flautista e Concertista Edson Beltrami, da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP).

 
De acordo com o pai de Wesley, Elias Sampaio, essa bolsa de estudos foi unicamente para pagar as aulas do professor por um ano, no valor de R$ 500, por aula, sendo 8 aulas mensais. À família coube então arcar com moradia e com a alimentação do músico. Com muito esforço, por um ano os pais de Wesley conseguiram bancar a estadia dele. Mas o talento do amapaense lhe rendeu mais uma conquista. No dia 18 de Novembro deste ano, o pequeno tucuju conseguiu ser solista na maior casa de espetáculo e concertos da América Latina, a Sala São Paulo, casa da OSESP.

Após o concerto, Wesley Sampaio recebeu a notícia de que havia ganhado mais um ano de bolsa integral, devido a sua excelente performance, tendo em vista a dificuldade da peça que apresentara: o Concerto para Flauta e orquestra Opus 10, nº 4, de Antonio Vivaldi.

Acontece que essa bolsa só se tornará realidade caso Wesley consiga adquirir um instrumento profissional e uma ajuda de custo para se manter durante mais um ano, e isso foge as condições de sua família. A flauta, Muramatsu, custa em torno de $ 14.500,00 e o valor para sua estadia por um ano esta em torno de R$ 1.000,00 mensalmente.

Elias Sampaio precisa do apoio de empresários, instituições públicas e privadas, para manter em São Paulo seu filho que, sem dúvida, já é uma das maiores referências musicais do estado Amapá. Quem puder ajudar, pode entrar em contato com Elias Sampaio pelo telefone: 9153-3401.

Rita Torrinha
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

Commentários
  1. Alê Félix
  2. Anonymous

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*