Natura Musical 2020: coletivo Pororoca Sound, do Amapá, está entre os 43 contemplados, entre artistas e projetos

A Pororoca Sound -Incubadora de Empreendimentos Musicais, do Amapá,  foi selecionado na última quarta-feira (9), entre 3.365 concorrentes do Edital do Natura Musical 2020. Ao todo, 43 propostas, entre artistas e projetos de fomento de cenas e redes, inovação e inclusão , foram escolhidos.

Com isso, nove  artistas amapaenses passarão por um processo de aceleração, que culminará com a produção de oito álbuns inéditos e nove videoclipes. Eles serão patrocinados por Natura Musical em 2021. O foco são iniciativas que, sobretudo, desenvolvem projetos artísticos com identidade própria, refletindo narrativas contemporâneas e gerando impacto social, econômico e ambiental positivo.

Neste Edital, além da criação artística, selecionamos propostas a partir de um olhar mais inclusivo, buscando aumentar a proporcionalidade de grupos historicamente sub-representados.

A novidade desta edição é a destinação de parte do recurso do Edital Nacional para a Amazônia. Além dos projetos do Pará, historicamente contemplados, três outras iniciativas serão viabilizadas. TORÜ WIYAEGÜ e Crias de Curupira, do Amazonas, e o Pororoca Sound – Incubadora de Empreendimentos Musicais, que propõe formar e acelerar a carreira de nove artistas amapaenses.

Sobre a Pororoca Sound

A Pororoca Sound é uma Incubadora de Empreendimentos Musicais é um projeto da Cia. Ói Nóiz Aki, que tem na Cláudio Silva na produção executiva.

” Pororoca Sound visa através da qual nos propomos a acompanhar e acelerar a carreira dos artistas: Sabrina Zahara, Pretogonista, MC Deeh, Capitão Pupunha, Brenda Zeni, Jhimmy Feiches, Marina Marti, Elysson Pereira e Mayara Braga.

Estruturada em períodos de 01 ano, neste piloto, os artistas passaram por Percurso Formativo e um Ciclo Produtivo, onde nos responsabilizamos pela execução de um conjunto de ações estratégicas com foco na edificação de seus trabalhos.

De acordo com o produtor executivo, Gestão de carreiras, assessoria de imprensa, marketing de rede, condicionamento vocal, consciência corporal e visagismo figuram entre as atividades previstas no Percurso Formativo.

“Mais do que transferir conhecimentos, buscamos a integração dos artistas incubados, com os profissionais necessários ao aperfeiçoamento técnico de suas carreiras, de modo que as parcerias aqui iniciadas prosperem no pós-incubação”, destacou o produtor executivo Cláudio Silva.

Dentre as atividades integrantes do Ciclo Produtivo estão: produção de portfólio, releases/ sinopses, press kit, realização de ensaio fotográfico, produção de álbum fonográfico, produção de videoclipes e lançamento simultâneo em plataformas de streaming.

Findado o período de incubação, com a compreensão da cadeia produtiva da música e do tripé: obra (projeto), material de divulgação (formato) e plano de carreira (difusão), seus participes estarão preparados para os demais desafios do mercado fonográfico e para o gerenciamento de vossas carreiras.

“Foi um processo de muito trabalho e empenho. Valeu cada noite de sono perdida”, finalizou Cláudio Silva.

Elton Tavares, com informações do produtor cultural Cláudio Silva e Natura Musical 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *