No Amapá, MP desafia desenvolvedores a criar apps de combate à corrupção

Procurador-geral de Justiça do Amapá, Márcio Augusto Alves.

Por Seles Nafes

Durante três dias e três noites, dezenas de desenvolvedores do Amapá estarão mobilizados na criação de aplicativos que ajudem na fiscalização da aplicação do dinheiro público. O HackFest é uma iniciativa do Ministério Público do Amapá, a partir de uma experiência bem-sucedida no MP da Paraíba.

A ideia é reunir os “hackers do bem” no prédio da Procuradoria-Geral do MP, no Bairro do Araxá, zona sul de Macapá, para uma maratona de criação tecnológica.

A Controladoria Geral da União (CGU), por exemplo, usa como ferramenta um dos aplicativos premiados pelo MP da Paraíba para fiscalizar a aplicação do dinheiro da merenda escolar.

“Os alunos estão publicando no aplicativo as fotos da merenda escolar. Se for suco com bolacha, a CGU vai verificar porque esse tipo de alimento está sendo servido quando a merenda deveria ter sido feijão com arroz”, exemplifica o procurador-geral de Justiça do Amapá, Márcio Augusto Alves.

Prédio da Procuradoria-Geral do MP-AP, no Bairro do Araxá, zona sul de Macapá, onde o HackFest será realizado. Foto: Gilberto Almeida.

“Nosso objetivo é fomentar o uso da tecnologia para a sociedade nos ajudar nesse controle. Esses apps têm aplicações para todos os setores públicos, até para ruas esburacadas”, acrescentou.

Para apoiar o HackFest, o MP do Amapá ganhou o apoio de muitos parceiros públicos e privados, como a Você Telecom, o maior provedor de internet do Amapá, além da Polícia Federal, Ministério Público Federal, Assembleia Legislativa, Ifap, Sebrae, Sesi, Senai, Tribunal de Justiça, prefeitura de Macapá, governo do Amapá, entre outros.

O procurador da República Deltan Dalagnol, que atua na Lava Jato, gravou um vídeo convidando os desenvolvedores do Amapá para o evento.

Maratonistas

Serão oito grupos de “maratonistas” com seis pessoas em cada, trabalhando dia e noite no desenvolvimento de aplicativos. Alguns solicitaram permissão para passar dormir no prédio no MP para aproveitar as ideias que surgem na madrugada.

Ao final, as três melhores ideias receberão premiações em dinheiro, além de cursos de qualificação e equipamentos doados pelas empresas parcerias do evento.

As melhores ideias terão até o início de janeiro para apresentar os aplicativos prontos. O lançamento do HackFest ocorreu na última segunda-feira (5), no prédio-sede do MP, às 16h. A competição ocorrerá de 7 a 9 de dezembro.

Fonte: SelesNafes.Com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *