Hoje rola “Tributo ao The Cure”, com a banda The Malk

Em 2018, o The Cure, a mais influente banda oitentista e a mais importante no cenário gótico/pós-punk, celebrou seus 40 anos de carreira. Para reverenciar a obra dos britânicos, a banda The Malk retorna aos palcos e apresenta hoje (6), a partir das 22h, no Bar do Vila, o “Tributo The Cure”. O show, com 36 músicas e 3h de duração, marca a volta do melhor grupo musical de rock cover que Macapá já teve.

A banda é formada por Adriano Joacy (guitarra e vocal), Rafael Queiroz (guitarra), Nilson Montoril (baixo), Cleyson Paiva (teclados) e Arley Costa (bateria e backing vocal). Eles estão bem ensaiados e com muita vontade de botar pra quebrar.

Sobre a The Malk

A The Malk é formada originalmente por Sandro Costa (“Sandro Malk”), nos vocais e guitarra; Rafael Queiroz (guitarra); Alexandre Lima (baixo) e Arley Costa (bateria). Os caras começaram a tocar em 2001, em uma feira de informática da então Faculdade Seama. Após essa apresentação, a banda recebeu convites para outras tocadas. O nome da banda é uma homenagem a Stephen Malkmus, um músico estadunidense fundador da banda americana de rock alternativo Pavement.

Logo no início, Rafael deixou a banda. Entraram Adriano Joacy (guitarra, teclados e backing vocal) e Nilson Montoril (que assumiu o baixo quando e Alexandre pegou a guitarra). O segundo a sair foi Alexandre. A The Malk seguiu como um quarteto por anos. A banda embalou muitas noites memoráveis em Macapá. Eles tocaram tocando (e lotaram) em locais como o Cana Café, o Butecno Café, a boate Etna, Liverpool Rock Bar e o bar Biroska.

O Nilson Montoril escreveu algumas canções, mas o projeto de música autoral da The Malk não foi em frente. A banda encerrou as atividades quando o Sandro Malk foi embora de Macapá, em 2006 pra morar em Curitiba (PR). Lá, o Sandro foi líder da banda “Bardot em Coma”, que, inclusive, gravou um CD. Hoje em dia, faz sucesso com a sua sensacional One sky two visions. Alexandre Lima mora em Itapipoca do Sul (CE), onde tem uma banda.

Os caras ensaiaram uma volta em 2011, tocaram na festa “Overdose anos 80/90” e “Rock in Rod’s”, mas por questões pessoais dos integrantes, o projeto não vingou.

The Cure – 2013 – São Paulo – Foto: Elton Tavares

Sobre o The Cure

O The Cure é formada por Robert Smith (voz e guitarra), Simon Gallup (baixo), Roger O’Donnell (teclados), Reeves Gabrels (guitarra) e Jason Cooper (bateria). A banda vendeu milhões de álbuns na carreira e influenciou diversos artistas que emergiram durante os 40 anos de sua trajetória.

Foto: Elton Tavares

Os ingleses do Cure estão em turnê pela Europa, celebrando os 40 anos, tocando na íntegra o disco Disintegration. O álbum é tido como o mais expressivo da banda britânica liderada pelo descabelado Robert Smith. Aliás, ele é único integrante da formação original do grupo, tem 60 anos de idade e 41 anos de Rock and Roll. O cara é um ícone do Rock e da música alternativa mundial.

Foto: Elton Tavares

Ao som dos britânicos, minha geração e a que vai antes de nós, fizeram muitas festas, noitadas, reuniões com amigos. As canções do The Cure estão na memória afetiva da maioria de nós, fãs de Rock. Portanto, queridos leitores que amam o bom e velho Rock and Roll, agendem o dia 6 de setembro de 2019. Será “Friday I’m in love” (numa sexta-feira, ô sorte!). Todos malkianos e curemaníacos estarão por lá! Prestigie, pois isso é rock n’roll!

Serviço:

Tributo ao The Cure, com a banda The Malk.
Local: Bar do Vila, localizado na Avenida Mendonça Furtado, centro de Macapá.
Data: 06/09/2019
Hora: a partir das 22h

Elton Tavares, jornalista e fã do The Cure e da The Malk.
*Matéria fechada ao som de The Cure, claro.

  • Avatar

    Melhor banda! Repertório apurado, músicos super Profissionais e merecem todo o nosso reconhecimento e respeito!
    Essa banda fez história difundindo músicas que não se restringiam ao repertório “batido e repetitivo” apresentado pela maioria das bandas covers (ta certo isso?! Kkk) de Macapá, e sim apresentava o que de melhor possuia nos maiores e mais importantes albuns do cenário rock’n roll , bem como, trazia novidades da época como faixas de Franz Ferdnand e Arcade Fire (bandas que conheci através da The Malk).

    Muito sucesso e que bom que vcs estão de volta! Os bares de Macapá precisam oferecer um som de bom gosto ao público!
    Valeu, Elton, pelo belo texto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *