No Domingo de Páscoa: Ciclo do Marabaixo no Laguinho terá transmissão ao vivo

No dia 12 de abril, Domingo de Páscoa, a Associação Raimundo Ladislau dará início a programação do Ciclo do Marabaixo 2020, nos campos do Laguinho. Este ano com uma peculiaridade. Pela primeira vez, em mais de cem anos de realização do evento, as festividades serão realizadas excepcionalmente sem a presença das comunidades e com transmissão ao vivo pelas redes sociais, tudo isso, em razão da prevenção de combate ao coronavírus.

A transmissão pelo facebook inicia as 17h, com a novena, logo em seguida a partir das 17h30min, haverá muito marabaixo para quem estiver acompanhando a “live” no facebook da Laura do Marabaixo ( facebook.com/LauraDoMarabaixo ).

Durante a transmissão do evento, os festeiros do ciclo do marabaixo realizarão sorteios de cestas básicas. Estas cestas serão apenas para os marabaixeiros e marabaixeiras que estão necessitando de ajuda neste período de pandemia do coronavirus.

Outra atividade inserida na programação, será a campanha de conscientização feita pelos marabaixeiros, pedindo à população que permaneça em suas casas, cumprindo com todas as normas de prevenção e combate ao COVID19.

A festividade do ciclo do marabaixo é um evento do calendário cultural e religioso do Estado do Amapá. No Laguinho, são realizados louvores à Santíssima Trindade e ao Divino Espírito Santo.

O ciclo segue o calendário litúrgico da igreja católica e tem seu início no sábado de aleluia com festividades nas comunidades da Favela (Santa Rita e Centro) e Campina Grande, zona rural de Macapá.

Já no Domingo de Páscoa, a programação ocorre no Bairro do Laguinho, mais precisamente nos barracões do Mestre Pavão e da Tia Biló.

A Tia Biló

Benedita Guilherma Ramos, popularmente e carinhosamente conhecida como Tia Biló, nasceu no dia 10 de fevereiro de 1925, na cidade de Macapá. De seus dez irmãos é única filha viva de Julião Tomaz Ramos (Mestre Julião Ramos) e Januária Simplícia Ramos.

Como dançadeira, cantadeira e compositora de marabaixo, Tia Biló tem dado continuidade ao legado de seus pais e avós de realizar as festividades do ciclo do marabaixo e hoje tornou-se uma das precursoras do marabaixo, transmitindo para as novas gerações como seu filho Joaquim Ramos (Munjoca) e sua neta/filha Laura Cristina da Silva conhecida como Laura do Marabaixo e Danniela Ramos (neta) este tradicional festejo do calendário cultural do Amapá.

Em 1988, Tia Biló, juntamente com sua família Ramos, fundaram a Associação Cultural Raimundo Ladislau.

Ladislau foi uma das grandes personalidades negras do bairro do Laguinho, considerado um dos mestres da cultura do marabaixo e compositor do antológico e tradicional “ladrão de marabaixo”, mais conhecido no Estado e gravado por Luiz Gonzaga. “Aonde tu vai rapaz por esse caminho sozinho, vou fazer minha morada lá pros campos do Laguinho”.

Comunicação: Cláudio Rogério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *