Nota da Coligação Trabalho e União pelo Amapá

Em relação aos fatos ocorridos na noite do dia 04 e madrugada do dia 05 de outubro, contra o candidato Davi Alcolumbre, seus familiares e assessores, a Coligação União e Trabalho Pelo Amapá informa:

– A ação de membros da Polícia Civil do Amapá foi um ato de agressão arbitrário, direcionado para desequilibrar o pleito eleitoral e inadmissível no estado democrático de Direito;
– Em 2012, uma candidatura para a prefeitura de Santana foi vitima de uma armação política semelhante a essa, fato que foi determinante para o resultado das eleições.;
– Se, conforme alega a nota da Secretaria de Segurança Pública, foi uma ação autorizada pela Polícia Federal, estamos exigindo esclarecimentos à Corregedoria da Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Ministro da Justiça;
– Importante ressaltar que o Secretário de Estado de Segurança Pública, Coronel Carlos Souza, informou em programa de rádio na manhã de hoje (05/10) que desconhecia qualquer ação da polícia civil sob seu comando;
– Todo cidadão é igual perante a Lei. O Senador Davi sabe disso, inclusive votou favorável ao fim do Foro Privilegiado. Davi não deve, nem teme. Mas nada justifica uma ação visivelmente política e intimidadora, sem fundamentos ou provas, para criar um fato eleitoral a dois dias das eleições.

Ações como essas fortalecem a nossa caminhada. Dia 7 de outubro o Amapá vai mostrar nas urnas, que está cansado da velha política. O Amapá merece, precisa e quer viver um novo começo.

Raphaela Carrera
Assessora Parlamentar
Senador Davi Alcolumbre (Democratas-AP)
96-99117-9242

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *