Nota de Pesar da Secult

É com muita tristeza e pesar que todos da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) receberam a notícia, na manhã desta sexta-feira (8), do falecimento do cantor amapaense Manoel Sobral, de 74 anos de idade, vítima de câncer. Ele, que também era professor e maçom, foi um grande intérprete da música amapaense.

Foto encontrada no blog O Canto da Amazônia, de Fernando Canto.

Com mais de 60 anos de música, Sobral tinha voz marcante e fez sucesso com o disco “Boa Noite, Macapá”, com a música homônima ao álbum. Ele foi inesquecível como “puxador de samba” da Maracatu da Favela, um dos maiores intérpretes de samba-canção, bolero, MPB, MPA e das grandes serestas.

Também participou de festivais da canção e com amigos fundou o conjunto “Café com Leite” para tocar e cantar samba da melhor qualidade.

Foto encontrada no blog O Canto da Amazônia, de Fernando Canto.

“Eu tenho uma lembrança muito nítida dessa arte, a música estava dentro de mim e essa sensibilidade musical se confirmou quando aos cinco anos de idade eu assisti a Ângela Maria, cantando na Rádio Difusora de Macapá a canção ‘Lábios de Mel’ e eu na hora me arrepiei. E foi sinal de que a música estava dentro de mim, fazia parte do meu ser”. Manoel Sobral – Professor e intérprete musical do Amapá (em entrevista ao jornal Tribuna Amapaense).

Foto encontrada na rede social Facebook.

O cantor deixa um lindo legado. Sua partida é uma inestimável perda para o Amapá. Todos nós, da Secult, nos solidarizamos com a dor de seus entes queridos. Pedimos a Deus que conforte o coração de seus familiares e amigos enlutados. Externamos nossas sinceras condolências por sua partida precoce e nossos agradecimentos ao grande artista que ele foi.

Evandro Milhomen
Secretário de Estado da Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *