O amor é uma espécie de preconceito

                                                   Por Elton Tavares
Charles Bukowski, o velho safado
Há anos atrás, minha querida prima, Lorena Queiroz, me emprestou o livro “Misto quente”, do poeta e romancista alemão Charles Bukowski. A publicação é duca, muito boa mesmo. Nela, o escritor discorre sobre pontos de vista, histórias e posicionamentos anticonvencionais e, ás vezes, marginais (risos).
O velho Bukowski, falecido em 1994, cruzou meu caminho novamente um dia destes, quando minha amiga, Camila Karina, me enviou, pelo MSN, o seguinte parágrafo (que eu ainda não sei de qual livro foi retirado) escrito pelo alemão:
“O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa, quando há dez mil outras no mundo, que você amaria mais se conhecesse? Mas a gente nunca conhece”
É, aquele velho safado e beberrão sabia das coisas. Como cantou o saudoso Renato Russo, no final da música “Metal contra as nuvens”:
“Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos”.
Então não sejamos preconceituosos (conforme o ponto de vista de Charles Bukowski, claro), afinal, hoje é sexta cambada, chega de literatura, ligue o foda-se e caia na farra (risos).

  • Avatar

    uma vez o marilyn manson disse: “somos ensinados a amar todo mundo, a amar nossos inimigos, então que valor o amor possui?” eu acho que é uma boa pergunta…pra mim o amor tá superestimado…as pessoas procuram a sua outra metade por aí..mas na verdade não compreendem que um relacionamento precisa ser constituido de duas partes inteiras…e que assim como tudo na vida, até os sentimentos precisam evoluir e amaducerer…esse amor romântico que nós tentamos alcançar só existe nas músicas e no cinema…e nesse caso, a vida tenta, tenta, tenta…mas não consegue imitar a arte…então fazer o quê?? vamos rir disso tudo intorpecendo a nossas mentes com as drogas LÍCITAS que estão a venda no bares da cidade…é o que nos resta!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *