O camaleão (a)

Hoje falarei sobre um tipo peculiar de gente, o “camaleão”. Pessoas camaleoas são mutantes, se adéquam (ou fingem) a qualquer ambiente. Para estes fulanos, os fins justificam os meios e são totalmente falsas. Tais seres não possuem identidade própria, são interesseiros e puxa sacos e, sobretudo, canalhas, pois são capazes de difamar quem as ajudou num passado recente só para se apadrinhar a outros que podem lhe trazer algum tipo de benefício.

Ao primeiro momento, o camaleão é tido como gente boa, espirituoso e safo, pois fala somente o que sua nova vítima quer ouvir. Ah, esse tipinho de gente tem um discurso pronto, muito bem amarrado em falsas ações e valores fictícios.

Os camaleões são, quase sempre, sobreviventes de situações adversas, fato que não lhes da o direito de serem canalhas. Outra, em 90%  dos casos  são totalmente dissimulados, carentes e mal amados, portanto, vivem tentando uma auto-afirmação.

Escrevi este texto com pena de uma pessoa assim. Após conversar com amigos , descobri que filhadaputisse não tem limites e os camaleões não sabem o que é gratidão. Por fim, mas não menos importante, prestem atenção, os conhecimentos destes fulanos são superficiais, seja sobre Música, Literatura, Arte, Política e etc.

No final das contas, o Camaleão é um repetidor, alguém que absorve o mínimo e tenta mostrar que sabe alguma coisa. Somente velhos papagaios de pirata. Gente que pensa que pensa,mas são só idiotas plagiadores e coadjuvantes da vida.  Não preciso de amizades fabricadas e nem de falsos amores, sou sempre eu e as pessoas gostam de mim assim. Diferente de tais personalidades fabricadas.

Não preciso dizer que este texto é direcionado, sobre a pessoa “muito legal e de repente descolada” só digo uma coisa: Boa sorte, você precisa da benevolência e compreensão de terceiros, eu não.

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *