O COCÔ DA LUA…Relato curioso de Renivaldo Costa

Por Renivaldo Costa

Uma vez minha mãe chamou Caroline Belfor, minha esposa, e pediu que a acompanhasse no quintal. Lá mostrou uma pasta de cor amarela que identificou ser o cocô da Lua e disse a queima-roupa: “Ou você está grávida ou alguém da família vai engravidar”. Foi batata: dias depois duas cunhadas anunciaram que estavam esperando bebê. Lembrei hoje dessa história.

A “merda da lua”, a que minha mãe se referia, consiste numa pasta amarela sem cheiro que aparece de manhã bem cedo, após noite de lua cheia no chão parecendo que caiu do céu por deixar rastros invariavelmente de cima para baixo. Para o marajoara, a lua caga quando alguma coisa está errada avisando algum mau agouro e principalmente denunciando que alguma mulher próxima a casa onde a lua cagou está grávida.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *