O Dia das Mães e a minha Lucinha


Minha mãe, Maria Lúcia Neves Vale, tem 58 anos de idade. Destes, 35 dedicados a mim e 32 ao meu irmão, Emerson Tavares. Não consigo expressar somente em um texto toda a dedicação, carinho e amor que ela deu para nós. Mas vou tentar resumir. 

Maria Lúcia Neves Vale é natural de uma família pobre, começou a trabalhar ainda adolescente, no comércio da antiga Macapá. Cidade onde nasceu, casou-se, estudou, nos criou e avelhanta-se (ela está muito bem para alguém que caminha para a sexta década) com muita dignidade. Foi lojista, professora e orientadora educacional. Formou-se em 1990, mesmo tendo que cuidar do marido, casa e dois filhos pequenos. 

Mamãe é uma pessoa forte, temperamental, trabalhadora e, acima de tudo, honesta. Minha genitora é de quem herdei meu perfil, sincero, duro e, para alguns, ranzinza. Apesar do gênio, a educadora aposentada possui muitos amigos e é respeitada pelos profissionais da educação do nosso Estado. 

Nós, eu e Emerson, demos muita dor de cabeça pra ela. Eu então, não dá pra contabilizar aqui. Como eu disse em outros textos, é impossível contabilizar os benefícios que recebemos de nossos pais, particularmente na infância. Mamãe sempre fez das tripas coração para que tivéssemos um ambiente seguro de amor, que foi a base de nossa educação e dos valores que aprendemos com ela. 

Maria Lúcia também deu todo o suporte necessário para a educação dos filhos (eu até abusei). Nos anos em que andei perdido, ela nunca desistiu de mim. E não é que nós nos formamos?! Graças a ela, claro. Hoje em dia, eu e mano temos condições de tocarmos nossas vidas, mérito total da mama. 

Mais uma vez, faço minhas as palavras do meu amigo André Mont’Alverne (uma das frases mais paidéguas que já li sobre o significado de “mãe”: “uma mãe é um Deus palpável, acessível e real que atende as nossas preces mais absurdas… é no coração das Mães que o amor verdadeiro encontra o seu lugar”. 

É exatamente isso! Não sou melhor dos filhos, na verdade, vez ou outra, temos sérias divergências, mas logo nos entendemos. Pois temos uma relação de amor mútuo. 

Tenho muita sorte e orgulho de ser filho de Maria Lúcia, pois ela é um exemplo de superação, coragem, honestidade, determinação e força. Com todo o amor, afeto e dedicação que recebi ao longo da vida, cheguei a óbvia conclusão que minha mãe é mais que mãe: é minha melhor amiga! 

Te amo, minha linda “véia”, feliz Dia das Mães!

Elton Tavares
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

Commentários
  1. Édi Prado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*